domingo, 13 de dezembro de 2015

Assembleia da Propagação da Fé avalia caminhada e planeja atividades para 2016


Reunidos na sede nacional das Pontifícias Obras Missionárias (POM), em Brasília (DF), representantes das atividades da Obra da Propagação da Fé (POPF) realizam, nos dias 9 a 13, a sua 8ª Assembleia anual. Coordenado pelo secretário nacional da Obra, Guilherme Cavalli, o evento tem como tema de estudo a cultura do Bem Viver e inclui na programação partilhas dos trabalhos realizados nos diversos estados do Brasil e o planejamento para 2016.

Natural de Lagarto, estado do Sergipe, a senhora Maria Rufino trabalha há 4 anos com grupos de idosos e enfermos missionários, uma das atividades da Propagação da Fé. São realizados encontros semanais e visitas aos enfermos acamados em asilos levando-lhes palavras de conforto, orações e ajudas materiais. “O carisma da Obra é apaixonante”, relata Maria. “Encontrei na Infância e Adolescência Missionária (IAM) a inspiração para começar”, explica ela dizendo ainda que as dificuldades são superadas tendo como guia a Palavra de Deus.

A missionária conta que certa vez foi questionada sobre a ausência de um documento para realizar os trabalhos junto aos enfermos. “Lembrei-me que não existe documento maior do que a Bíblia e, não existe biblioteca melhor para as atividades, do que a Bíblia. Por isso, a Obra faz as coisas acontecerem”, destaca Maria Rufino. Ela trouxe o testemunho de um enfermo que não aceitava orações em sua casa. Inspirado no lema “Na alegria e na dor, serviremos o Senhor”, o grupo enfrentou a situação e o acompanhou até o dia de sua morte.

Na cidade de Caldas Novas (GO), as Irmãs Dominicanas da Beata Imelda mantêm o Centro Juvenil pela Vida, uma Associação ecumênica, na paróquia Bom Pastor, diocese de Ipameri. “A proposta é integrar todas as atividades da Propagação da Fé”, explica a irmã Elisa Ferreira que participa da Assembleia com o casal, Mário Lúcio e Rosalina Soares Chaves, e o jovem Leonardo Camargo. Eles trabalham com a Infância e Adolescência Missionária (IAM), Juventude Missionária (JM) e as Famílias Missionárias. Mário e Rosalina comentam que o trabalho com as Famílias Missionárias começou há pouco tempo são desenvolvidos no estilo das CEBs. Todas as semanas tem a Escola da Fé com estudos bíblicos e a leitura orante da Bíblia.

Irmã Elisa destaca ainda que a Obra procura integrar a catequese e IAM onde as crianças incentivam os pais a participarem da comunidade. Para 2016 está previsto o 3º Encontro Missionário das Famílias, onde participam também as crianças, os adolescentes e os jovens. “Este ano trabalhamos muito bem a Campanha Missionária com as famílias e também com os grupos de IAM. Agora estamos fazendo também a Novena de Natal, com as famílias e com as crianças”, explica irmã Elisa. “O Projeto conta com uma Banda e um Coral formado por crianças da IAM, da catequese e também crianças evangélicas”.

Ao falar da escassez de verbas, a religiosa afirma que “o esforço é grande e os desafios também, mas o grupo não desiste. Os resultados aparecem quando se faz um trabalho iniciando pela IAM, pois tem uma continuidade. A dificuldade maior é a perseverança dos jovens, que por motivo de trabalho acabam deixando o grupo. Isso por que Caldas Novas não oferece muitas oportunidades”, lamenta a irmã.

Fundada na França em 1822, por Paulina Jaricot, a Obra da Propagação da Fé foi declarada Pontifícia pelo papa Pio XI em 1922 tornando-se, assim, organismo oficial da Igreja universal e de cada Igreja particular para a animação e cooperação missionária em todo o mundo. No Brasil a Obra realiza trabalhos com a Juventude Missionária, presentes em todos os estados e em alguns lugares com as Famílias Missionárias, Idosos e Enfermos Missionários.


Ontem, 12, a assembleia teve uma visão geral das quatro obras Pontifícias apresentada pela Equipe de Coordenação das POM em Brasília, o diretor, padre Camilo Pauletti, padre André Luiz de Negreiros, padre Jaime Carlos Patias e o jovem Guilherme Cavalli.

Organizados por macrorregiões, os coordenadores da Juventude Missionária partilharam a caminhada por estado. Uma síntese dos avanços e desafios foi apresentada em plenário servindo de base para o planejamento do ano que vem.

Nenhum comentário: