quarta-feira, 22 de julho de 2015

Alagoas: Decreto Ad Gentes é tema de estudo em Encontro da Obra da Propagação da Fé


Com o objetivo de refletir sobre a missão ad gentes à luz do Concílio Vaticano II, representantes da Pontifícia Obra da Propagação da Fé de Alagoas realizaram entre os dias 17 e 19 de julho, mais um Encontro estadual. O evento reuniu no Centro de Treinamento Diocesano Pio XII, na cidade de Palmeira dos Índios, mais de 150 animadores missionários que integram grupos de Juventude Missionária (JM) e Famílias Missionárias.

Convidado para assessorar os trabalhos, o secretário nacional da Pontifícia União Missionária, padre Jaime C. Patias, imc, apresentou a dimensão missionária do Concílio Vaticano II com destaque para o Decreto Ad Gentes. Segundo o assessor, o Concílio contribuiu para superar uma concepção focada exclusivamente nas “missões” em terras não cristãs, abrindo caminhos para uma concepção mais ampla da missão global da Igreja no mundo. “Missão não é apenas uma questão de expansão e implantação da Igreja nas terras não cristianizadas, realizada por ‘especialistas’. Missão é a própria essência da Igreja, chamada a ser testemunha de Cristo no mundo e na história. Isso por que a missão tem sua origem em Deus, na qual somos convidados a cooperar. O Decreto Ad Gentes restitui à Igreja a consciência de sua natureza missionária onde todos os seus membros são chamados a sentir como próprio o dever missionário em todos os tempos e lugares, e não apenas em tempos e lugares específicos e com alguns agentes. Agora é tempo de missão aos povos”, destacou padre Patias.

A leiga missionária, Teone Santos residente em Serra Talhada, Pernambuco, partilhou sua experiência de três anos e meio junto ao povo Makua em Moçambique evidenciando a aplicação concreta do documento Ad Gentes na prática missionária. “A figura do missionário, deve ser uma presença de caridade no meio do povo, vivendo com amor e despojamento, tendo a clareza em meio a tantas dificuldades. O Espírito Santo sempre inspira as atitudes dos missionários”, ressaltou Teone.

Para Júlio Oliveira, integrante da Juventude Missionária (JM) de Maceió (AL), o encontro trouxe uma nova ótica de vida, a partir do entendimento de missão como doação, como entrega de si em prol do outro através do amor de Deus, amor este vivenciado a partir da vocação, seja ela uma vocação sacerdotal, matrimonial, religiosa ou leiga.

A estudante de medicina, Luane Lira já fez missão no Paraguai e pretende continuar servindo. “O nosso encontro estadual foi muito além do que eu imaginava sendo um passo importante para o nosso amadurecimento na responsabilidade da missão ad gentes como Obra Pontifícia e principalmente, como Igreja que por natureza é missionária. Sou feliz por ter sido convocada por Cristo para essa missão e desejo ardentemente ser fiel a Ele no serviço à humanidade”, afirmou.

Para orientar a formação e a missão dos grupos de JM, a equipe nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé disponibiliza a Jornada do Jovem Missionário (JJM). Organizado em quatro módulos com dois temas geradores, o itinerário pode ser baixado do site das Pontifícias Obras Missionárias.


Após o intercâmbio de experiências, reflexões, celebrações e orações, os presentes no Encontro foram enviados a propagarem o amor de Cristo a todos e em todos os lugares, entendendo que a Igreja é missionária por sua natureza e essência (AG 2).

O Estado de Alagoas é constituído por três dioceses e conta com aproximadamente 60 grupos de Juventude Missionária. As Famílias Missionárias, também começam a se organizar com a implantação de alguns grupos. O Encontro reuniu jovens de Arapiraca, Olho D’água das Flores, Boca da Mata, Girau do Ponciano, Junqueiro, São Sebastião, Senador Rui Palmeira, Maceió, Messias, Murici, Craíbas, Olivença, Maravilha e Barra de Santo Antônio.

Comunicação JM de Alagoas.

Nenhum comentário: