segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

A Obra da Propagação da Fé e a continuidade da missão de Paulina Jaricot


A Pontifícia Obra da Propagação da Fé celebra nesta sexta-feira (9) o aniversário de morte de sua fundadora, a venerável Paulina Jaricot, que viveu entre os anos de 1799 e 1862, na França. A obra que integra as Pontifícias Obras Missionárias da Igreja inaugurou uma nova época missionária para a Igreja.

A Propagação da Fé sustenta diversos projetos missionários em vários países, com a ajuda material que vem dos grupos que vivenciam o carisma deixado por Paulina Jaricot.

No Brasil, a Obra é sustentada pelo trabalho dos grupos de Juventude, Famílias, Idosos e Enfermos Missionários. Ainda, há grupos de Propagação da Fé localizados nas dioceses de Curitiba, Ponta Grossa e São José dos Pinhais, no Paraná.


A missão é a razão de ser da Igreja. Todos temos que ser missionários e Paulina Jaricot transmitiu isso para nós”, destaca Lucinda Tavares, que coordena um trabalho com 35 pessoas na Diocese de São José dos Pinhais.

A coordenadora conta que o grupo que lidera é constituído, em grande parte, por mulheres, mas também conta com alguns homens, e a maioria são idosos. Para Lucinda, a Obra oferece uma forma para que, a partir de sua comunidade, todos possam ser missionários com os que oferecem sua vida para ir a lugares distantes e em outros países.

Somos um grupos de senhores e senhoras e ajudamos da maneira que podemos. Já que não podemos estar lá com os missionários, ajudamos de longe”, frisa Lucinda.

Paulina Jaricot tinha visão das grandes necessidades da Igreja. Suas atividades são aparentemente simples e podem ser realizadas por qualquer pessoa. Essa percepção da realidade social e espiritual tornou Paulina uma instrumento dócil da Divina Providência.

A Obra da Propagação da Fé tem sede em Roma e está presente em mais de 150 países. 


Causa de Beatificação
A causa de beatificação de Paulina Jaricot começou em 18 de janeiro de 1930. Em 22 de abril de 1952 deu-se a congregação preparatória sobre o heroísmo de suas virtudes, e em 25 de fevereiro de 1963 o Papa João XXIII assinou o decreto que proclamou o heroísmo das virtudes de Paulina Maria Jaricot, e a partir disso, ela foi  declarada 'venerável', o que quer dizer que a Igreja se compromete a beatificá-la. O processo segue dependendo de um milagre por sua intercessão. 

Oração pela canonização de Paulina Jaricot
Senhor, Vós inspirastes a Paulina Maria Jaricot a fundação da Obra da Propagação da Fé, a Organização do Rosário Vivo e o compromisso autentico para redenção do mundo dos operários. Concedei que, pela sua intercessão, nós possamos obter a cura de ... que imploramos profundamente, em conformidade com a vossa santidade. Dignai-vos fazer alvorecer depressa o dia em que a Igreja possa celebrar a santidade de sua vida. Fazei com que seu exemplo inspire numerosos cristãos a empenhar-se na missão evangelizadora, com a finalidade de que todos os homens e mulheres de hoje descubram na terra inteira o vosso Amor Infinito, manifestado em nosso Senhor Jesus Cristo, que vive e reina convosco, na unidade do Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos. Amém.
(Com Aprovação eclesiástica, 28 Dezembro de 2002)

Testemunhos das graças e curas atribuídas à sua intercessão, devem ser enviados às Pontifícias Obras Missionárias.

Nenhum comentário: