sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Juventude Missionária do Pará realiza encontro de formação


A Juventude Missionária (JM) do estado do Pará realizou nos dias 14 a 16 de novembro, o seu 5º Encontro Estadual. O evento reuniu no Centro Sagrada Família, em Ananindeua, 42 representantes de grupos das dioceses de Belém e Abaetetuba. Os trabalhos contaram com assessoria do jovem Jadson Bezerra, da equipe de articulação da JM de Pernambuco que refletiu sobre o tema “Saia da sua terra, do meio de seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que Eu lhe mostrarei...”(cf. Gn 12,1). 

A noite da sexta-feira foi marcada pela acolhida dos participantes, apresentação dos continentes e adoração Eucarística missionária. Após a abertura, o primeiro tema estudado foi inspirado no livro “A Vida é Missão” do padre Luís Mosconi. A reflexão teve por objetivo despertar para a jornada de trabalhos que seria vivenciada durante o encontro de formação. 

O segundo dia foi marcado com o estudo das Pontifícias Obras Missionárias (POM) com destaque para a Propagação da Fé da qual a JM faz parte. A visita do padre André Gamba, da equipe de articulação da IAM e JM no estado, e do padre Everson Vianna, do Setor Juventude da arquidiocese, demonstraram o envolvimento e a disposição na articulação das atividades missionárias ligadas às POM. Na tarde do mesmo dia o carisma e a metodologia de trabalho da JM marcaram a convivência dos participantes. Além disso, o testemunho da missionária Dora, que irá para a missão além-fronteiras na Tailândia, destacou o despertar missionário da JM para a missão ad gentes. A tarde foi concluída com a apresentação das atividades vivenciadas pelos grupos da JM na sua realidade comunitária. A oração do Terço Missionário e a apresentação dos trabalhos realizados entre os grupos no estudo da metodologia de trabalho da JM, conclui as atividades do dia.


Para a Sra. Leila, a realização do encontro foi necessária para que se pudesse estreitar as relações e articular as atividades dos grupos de JM no estado. Segundo ela “através de um encontro são avaliadas várias coisas, várias situações, o que precisa ser edificado, o que se precisa conversar mais. A realização de um encontro desse tipo é importante para saber o que os jovens fazem e pensam”, concluiu a assessora.

A realidade local é crucial para a vivência do carisma missionário dos grupos de JM. A missão além-fronteiras começa quando se assume o trabalho na comunidade local. Entre as diversas atividades partilhadas, destaca-se o trabalho em parceria com a Pastoral da Criança com intuito de acompanhar a Comunidade Santana do Aurá que surgiu a partir dos moradores que vivem próximo ao lixão; visitas às famílias carentes das comunidades; acompanhamento de comunidades com promoção de atividades para reestruturação da convivência religiosa dos moradores; acompanhamento de viciados em drogas e convivência nas favelas das comunidades. Para Ivanilson, da diocese de Abaetetuba, as experiências dos outros grupos nos faz avaliar o trabalho missionário e nos motiva para que não saiamos do seguimento da Juventude Missionária. “O encontro serve também para que sejamos jovens missionários, para não fazermos o trabalho como queremos. Não fugir do nosso carisma”, destacou. 

A participação de um adolescente da Infância e Adolescência Missionária (IAM) da paróquia Cristo Redentor, diocese de Abaetetuba, demonstrou a disposição dos integrantes da IAM em ‘darem um passo’ para a criação de grupos da JM nas comunidades. Ednaldo Lucas, 15 anos, deseja fundar um grupo de JM em sua paróquia com intuito de que os jovens da sua comunidade tenham um lugar para ir e não se envolvam com as drogas. “O encontro foi uma experiência nova que deve ser repassada para os jovens da minha paróquia”, destacou e deixou uma mensagem para as crianças, adolescentes e jovens: “Não desistam. Tenham esperança. Nunca se esqueçam dos outros jovens”.

A manhã do domingo foi marcada por uma oficina prática da vivência do carisma dos jovens missionários. O grupo de 42 jovens visitou a comunidade Santana do Aurá que é acompanhada por dois grupos de JM da cidade de Ananindeua. Os grupos de JM desenvolvem trabalhos há cerca de dois anos e tem tentado despertar na comunidade a necessidade de participação nas atividades religiosas, bem como a assistência às necessidades materiais que são visíveis na localidade. Segundo a representante da JM do estado do Pará, a jovem Leidiane, o encontro estadual serve para a renovação do espírito missionário de cada jovem e a confirmação de que a JM do Pará tenha sempre o ardor missionário necessário para o serviço ao próximo. “Não percam a fé, continuem firmes na caminhada de jovens missionários, deem continuidade ao trabalho da JM como assessor ou como Família Missionária”, concluiu a mensagem de incentivo aos jovens. Ao fim da visita à comunidade, o grupo avaliou a realização do encontro e planejou algumas atividades para serem vivenciadas em 2015 com a JM do estado, ficando a jovem Leidiane como a representante estadual. 


Comunidade Santana do Aurá
A Comunidade Santana do Aurá em Ananindeua surgiu a partir da convivência dos moradores da região com o lixão, local de onde eles tiram as condições materiais para sobrevivência. O trabalho desenvolvido pelos jovens da JM fez com que algumas pessoas, entre elas crianças e alguns jovens da própria comunidade, despertassem o aprendizado mútuo entre a JM e os moradores. Segundo Paulo Farias, coordenador da Comunidade, as atividades com as crianças e as visitas aos adultos que por vezes não querem participar, são alguns dos caminhos que devem ser continuados pelos jovens. “Acreditar mais no porquê eu sou missionário? Por que eu devo evangelizar? Por que eu tenho que ir além daqueles que não conhecem a verdade, aqueles que não tiveram uma estrutura religiosa e familiar? Aqueles que têm essa estrutura precisam levá-la, não ficar só para na sua paróquia e comunidade”, disse Paulo Freitas.