sábado, 14 de junho de 2014

Juventude Missionária evangeliza e faz doações as pessoas no lixão


No dia 7 de junho, a Juventude Missionária (JM) da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, de Patos (PB), realizou mais uma missão, dessa vez a missão consistia em evangelizar as pessoas que trabalham como catadoras de lixo. Entretanto, quis os propósitos divinos que também fôssemos evangelizados pelo testemunho de uma das pessoas que sobrevivem daquele trabalho.

A Juventude Missionária em companhia de alguns jovens da Crisma, partiu logo nas primeiras horas da manhã em busca do lixão da cidade, local que é ambiente de trabalho e sustento de muitas famílias. Antes, os jovens puderam prestar uma simbólica doação de alimentos, roupas, brinquedos e fraudas geriátricas para a Associação de Catadores de Patos.

Estando no lixão, que infelizmente na nossa cidade ainda é de característica rústica, ou seja, em pleno céu aberto, o que acarreta inúmeros problemas ao meio ambiente e consequente danos a qualidade de vida das pessoas, os jovens foram acompanhados durante a peregrinação por Maria Nilma, presidente da Associação dos Catadores de Lixo. A mesma inicialmente relatou o dia a dia de trabalho, as dificuldades, os cuidados que são exigidos naquela lida diária.

Após esse momento, Maria Nilma passou a literalmente nos relatar o seu testemunho de vida, mulher de muita luta e sofrimentos, Maria Nilma nos contou um pouco dos seus 30 anos de trabalho ali exercidos. A mesma nos relatou, que os catadores já passaram e ainda passam por situações extremas de pobreza, de completo descaso público, aonde os catadores retiravam e ainda coletam do próprio lixo os alimentos que servirão como café da manhã, almoço e jantar, e ainda remédios, objetos e roupas para usarem são extraídos do lixo.

Maria Nilma ainda testemunhou seu drama pessoal quando estava diante das dificuldades gigantescas do trabalho, afirmando que tentou contra a própria vida, mostrando as cicatrizes deixadas, mas que por providência divina estava viva para contar sua história de superação das dificuldades e dizer que era extremamente feliz por sua vida e por seu trabalho e que não tinha nada do que reclamar, apenas agradecer a Deus por tudo. Depois desse testemunho, os jovens missionários deixaram sua mensagem de motivação e alento para os catadores, lembrando as palavras de Jesus nas bem aventuranças (Mateus 5, 1-11) e depois as palavras do Papa Francisco dirigidas aos catadores de lixo da Argentina, que diz: "Continuem a desempenhar seu trabalho digno e tão importante para o meio ambiente. Quando reciclam, vocês fazem duas coisas: um trabalho ecológico necessário e uma produção que fraterniza e oferece dignidade a este trabalho."



Ao final da missão, ficamos com algumas certezas, a primeira de termos evangelizado e ter sidos evangelizados, pois, quantas pessoas ainda passam fome e vivem do lixo, e nós ainda ficamos reclamando vaidosamente da comida boa e saudável da nossa casa. Segundo, que é possível encontrar pessoas felizes em lugares onde pensamos que a tristeza domina, no meio de escombros de lixo encontramos um testemunho de vida marcante, logo, Deus costuma esconder: "Tesouros em vasos de barro." (2 Corintios 4,7).  E ainda como diz o poeta:  "Que a felicidade não dependa do tempo, nem da paisagem, nem da sorte, nem do dinheiro. Que ela possa vir com toda a simplicidade, de dentro para fora, de cada um para todos. Que as pessoas saibam falar, calar, e acima de tudo ouvir. Que tenham amor ou então sintam falta de não tê-lo. Que tenham ideais e medo de perdê-lo. Que amem ao próximo e respeitem sua dor. Para que tenhamos certeza de que: Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade."  - Carlos Drummond de Andrade


Nenhum comentário: