sábado, 8 de março de 2014

Juventude Missionária de Teresina realiza retiro missionário


A coordenação da Juventude Missionária (JM) da arquidiocese de Teresina (PI) realizou entre os 01 e 05 de março o seu I Retiro de Espiritualidade Missionária. O encontro aconteceu no povoado de Bela Vista, a cerca de dez quilômetros da cidade de Teresina e teve como tema: “Pobreza, Obediência e Doação”. Participaram 45 jovens que partilharam experiências e ressaltaram a importância de servir com amor na missão de Jesus Cristo.

O primeiro dia de reflexão abordou a Campanha da Fraternidade e o tráfico humano. O coordenador diocesano da JM, José Lopes, falou sobre práticas que escravizam e transformam a pessoa em mercadoria. “Temos trabalho escravo muito próximo de nós, a menos de 300 quilômetros. É do conhecimento de todos essas práticas que exploram e oprimem. Fazemos alguma coisa enquanto Jovens Missionários?”, questionou Lopes.

No domingo, Camila Fernandes, coordenadora da JM do Piauí retomou o decreto conciliar Ad Gentes, documento que ressaltou a vocação missionária de toda a Igreja. As formações impulsionaram os jovens a realizar visita às famílias do povoado onde ocorreu o encontro. Junto às famílias compartilharam histórias e vivenciaram o Evangelho em comunidade ao encerrar as visitas com a celebração da Palavra. “Jesus Eucarístico, fonte de vida e alimento para a alma” foi tema de formação na segunda-feira, dia 3. A reflexão foi conduzida pelo jovem Francisco Wanderson que em sua exposição lembrou a importância de ser Igreja em saída que se alimenta na Mesa Sagrada e retoma a vida de Jesus Cristo.


O retiro contou também com a presença e assessoria do secretário nacional da Obra da Propagação da Fé, Guilherme Cavalli, que debateu sobre a perspectiva de missão proposta pelo Vaticano II. “A partir do Concílio que encerrou em 1965, todo o agir da Igreja está ligado unicamente em Jesus Cristo que é misericordioso. Somos enviados por Ele para anunciar o Evangelho a toda humanidade e assim constituir a justiça como chamado do Pai. Para que a ação missionária se cumpra é preciso constantemente do nosso comprometimento para fazer de toda a humanidade, Igreja Povo de Deus”.

O último dia do retiro se concentrou na Espiritualidade e Oração como fermento para a Missão. O tema foi trabalhado por Francisco Cruz, que sublinhou a importância de sermos missionários conscientes e firmes na fé. Durante a tarde aconteceu uma Gincana Missionária que animou as equipes a recuperarem tudo o que foi visto durante o retiro. De forma interativa, as brincadeiras animaram os jovens a trabalharem com alegria e entusiasmo na construção de uma juventude comprometida e responsável.

Segundo José Lopes, da equipe de coordenação do retiro, o momento propiciou maior consciência missionária na arquidiocese. “Que a Juventude Missionária se organize em formações para gerar novos jovens firmes na Palavra de Cristo e responsáveis por anunciar o Evangelho até os confins do mundo”, relatou.

Comunicação JM de Teresina

Um comentário:

lopes disse...

Um novo começo para todos, apartir do trabalho unificado, com a mente aberta no sentido de pertença as POM, e a união de todos, é que vamos fazer algo diferente e entregue as mãos de nosso Pai.