quinta-feira, 25 de julho de 2013

#JMJRio2013: Juventude Missionária participa de Catequese e momento de espiritualidade na JMJ


A programação da JMJ Rio 2013 prevê para os dias 24 a 26, sempre pela manhã, catequeses em mais de 300 lugares. Ministradas por bispos de vários países, as reflexões aprofundam o tema da JMJ: “Ide fazei discípulos entre todas as nações (Mt 28, 19). Divididas de acordo com os cerca de 30 idiomas dos peregrinos as catequeses ocorrem em locais próximos aos das hospedagens em colégios e paróquias. Os jovens da Juventude Missionária (JM) ligada às Pontifícias Obras Missionárias no Brasil participam da catequese em português no colégio Estadual Aurelino Leal em Niterói, cidade que os acolhe.

A pregação esteve a cargo de dom Virgílio do Nascimento Antunes, bispo de Coimbra - Portugal, que refletiu sobre o tema “Sede de esperança, sede de Deus” para cerca de 1.200 jovens do Brasil, Angola e Timor Leste.

Após a reflexão, em entrevista à reportagem das POM, dom Virgílio afirmou que a JMJ é um grande momento por que os jovens universitários precisam da força da fé. “Sem a fé, os jovens podem ser técnicos, sábios em muitas matérias para as quais se prepararam nas faculdades, podem até ter um grande desejo de servir a comunidade, mas falta algo que dê sentido mais profundo e pleno às suas vidas. Como todo o ser humano precisa de esperança interior que não se baseia apenas naquilo que faz e conhece, os universitários precisam da força da fé em Cristo para enfrentarem a vida em todas as situações”, disse o bispo.

Para os jovens de vários países de língua portuguesa, dom Virgílio lembrou ainda que, “falamos a mesmo idioma, mas falamos acima de tudo, a mesma linguagem da fé que é universal. O que nos une é Deus, é Jesus Cristo, o amor pelo ser humano, o trabalho e o serviço, a esperança que vivemos. Isso é muito mais forte do que qualquer língua que se possa falar ou da nacionalidade que nos uma. A fé cristã é essa força de Deus que une todos os seres humano com o mesmo amor”, sublinhou e concluiu: “Desde a JMJ envio um grande abraço para todos os jovens com muito carinho, gesto do amor de Deus que nos abraça onde quer que estejamos tal como Cristo Redentor aqui no Rio de Janeiro. Não tenham medo de abraçar a Cristo como Ele vos abraça por que isso é a certeza do presente e do futuro de vida”.


Suzénica Helena, 18 anos, membro da JM em Natal, Rio Grande do Norte esteve entre os peregrinos na catequese e comentou: “O mundo tem sede de Deus e nós enquanto juventude e ‘janela do futuro’, conforme disse o Papa Francisco estamos encarregados de intermediarmos essa busca por Deus. Devemos ser exemplo de amor ao próximo, respeito, fé e caridade. Em suma, devemos ser missionários, exemplo de Deus amenizando assim a sede que o mundo tem de Deus para a construção da civilização do amor”.

A Secretária do Conselho Missionário Regional Leste 2 da CNBB (Minas Gerais e Espírito Santo), Aparecida Alves Gonçalves, 33 anos, veio de Ipatinga (MG) e destaca a importância da catequese para a juventude. “Neste contexto de secularismo e pluralismo cultural, ouvir a Palavra de Deus direcionada à juventude renova em nós o ardor missionário e alimenta o desejo de sermos testemunhas para muitos que perderam a esperança, o sentido da vida e têm sede de Deus”, avalia.

Além da pregação, a programação nas três manhãs contempla também o atendimento de confissões e a celebração da missa, momentos fortes de espiritualidade para os peregrinos.

Durante a JMJ as POM, com a ajuda da Juventude Missionária mantêm uma Sede Missionária no Museu Solar do Jambeiro em Niterói (RJ). O espaço inclui a Exposição "Maria Mãe de todos os Povos” que reúne cerca de 80 imagens e quadros de Nossa Senhora Padroeiras de diversos países. Outra Exposição, "Por uma Igreja toda Missionária", mostra a vocação missionária da Igreja. No mesmo lugar foi realizado na terça-feira (23), o Encontro Internacional da Juventude Missionária. Ao mesmo tempo, as POM também estão presentes na Feira Vocacional na Quinta da Boa Vista, Rio de Janeiro.

Espiritualidade missionária
Na tarde desta quarta-feira (24), enquanto o papa Francisco visitava o Santuário de Aparecida e o Hospital São Francisco no Rio de Janeiro, na igreja Matriz de São Domingos, em Niterói, aconteceu um momento de Espiritualidade Missionária orientado pelo diretor das POM no Uruguai, padre Leonardo Rodriguez. O encontro foi animado por Érica Júlia, coordenadora da JM em Minas Gerais e Martín Lino, secretário da Infância e Adolescência Missionária no Uruguai. Participaram cerca de 30 peregrinos do Paraguai, Espanha, Chile, Porto Rico, Uruguai e Brasil.

Em sua colocação, padre Leonardo reafirmou o carisma missionário da JM e refletiu sobre como viver a missão diante das mudanças atuais. Falou ainda sobre a identidade das POM e sua importância da comunhão com a Igreja. “Não deixemos que nosso amor por cada uma das Obras fique à margem da proposta da Igreja, precisamos estar sempre inseridos e não formar um núcleo a parte”, alertou. Salientou ainda a importância da sensibilidade social e política no trabalho. “Como Obra missionária de evangelização precisando ter uma visão social e política. Não podemos esquecer que estamos inseridos na sociedade. Nunca esqueçamos que a nossa bandeira é a da dimensão universal da missão”, sublinhou para Leonardo. Os jovens presentes ao encontro fizeram também um momento de oração significativa.

Papa Francisco
Nesta quinta-feira (25) acontece o primeiro ato da JMJ com participação do Papa Francisco. Pela manhã, o Papa participa de uma missa privada com cardeais e bispos no Sumaré, onde está hospedado. Depois, vai ao Palácio da Cidade, em Botafogo, para abençoar a bandeira olímpica e paraolímpica. Por volta das 11h, o compromisso é uma visita à comunidade da Varginha, na Zona Norte. Às 17h, vai à Praia de Copacabana, onde será celebrada a Festa da Acolhida com os jovens primeiro encontro com os peregrinos.

FONTE: POM - 25/07/2013

Nenhum comentário: