terça-feira, 23 de julho de 2013

#JMJRio2013: Emoção leva fiéis às ruas do Rio para acolher o Papa Francisco


Estar perto do povo está se tornando uma marca registrada do Papa Francisco. O Pontífice, que surpreendeu ao partir do aeroporto Galeão usando um carro com vidros abertos, encontrou uma verdadeira multidão no centro do Rio de Janeiro. Cerca de 600 mil pessoas estavam dispostas em todo o percurso por onde o Papamóvel passou, segundo informações da Guarda Municipal. As pessoas que chegaram de todas as partes do planeta cantavam e convidavam mais pessoas para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013).

A emoção era percebida no rosto de cada jovem, de cada criança, de cada idoso que se espremia na grade de contenção. Tudo isso para chegar o mais próximo possível do Santo Padre para tirar uma foto, receber uma benção ou simplesmente olhar para o sucessor de Pedro.

A expressão era visível no rosto das milhares de pessoas que acompanhavam a passagem do Papa Francisco pelo Centro do Rio de Janeiro. Uns gritavam seu nome; outros apenas gritavam; E havia ainda os que olhavam, choravam, se ajoelham e oravam. O semblante do Sumo Pontífice evidenciava a sua alegria em estar no meio do povo. A sua simplicidade tão admirada não passou despercebida pelos olhos dos peregrinos e de pessoas oriundas de diversos lugares para vê-lo pela primeira vez. “Ele chegou!”, exclamavam. “Viva o Papa. Viva o Papa!”.


Pessoas de todas as idades e nacionalidades se emocionaram com a passagem do Pontífice, alguns por ser a primeira vez a estar perto de Sua Santidade. Outros por superar dificuldades, para conseguir, mais uma vez, ter um encontro com um Papa. “É uma grande benção poder viver para acompanhar a passagem de dois Papas na minha cidade. Estive no Aterro do Flamengo cantando para o Papa Joao Paulo II, quando ele veio pela primeira vez para o Brasil. Estar aqui hoje é uma coisa que não dá para descrever, só sentindo", comenta, emocionada, Izabel de Souza, 55, que mesmo de cadeira de rodas se esforçou e com ajuda dos amigos e familiares ficou de pé ao ver o novo Papa.

Muitos esperavam a quebra de protocolo, mas o Papa apenas pedia que levassem até ele algumas crianças para abençoá-las e beijá-las. Sempre sorridente, ele acenava o tempo todo para as pessoas que esperavam que ele descesse do Papamóvel para caminhar e cumprimentá-las de perto. “Eu estou muito feliz. Tenho 84 anos e esse é o segundo Papa que vim ver de perto”, disse dona Maria Estella, que estava desde duas horas antes ao pé das grades de contenção, para não perder o momento em que o pontífice fosse passar.


Peregrinos e moradores
Grupos de peregrinos que já estão no Rio para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio 2013), turistas e moradores se aglomeraram perto das grades de contenção. Entre eles, muitos conterrâneos do Santo Padre, como algumas jovens argentinas que aguardavam pela passagem do Sumo Pontífice. “É muito emocionante estar aqui. Não imaginava que pudéssemos ter um Papa argentino e ele já era muito querido em nosso país e ficamos felizes que ele seja tão bem acolhido por todo mundo”, destacou a estudante Angeles Rodrigues Crespo, 22.

Entre os milhares, a voluntária da JMJ Rio 2013, Marília Fidalgo, 23, tinha um motivo a mais para comemorar, já que era seu o aniversário. Como presente, ela queria ver o Papa Francisco. Por isso, foi para o centro da cidade, na Avenida Rio Branco, em frente ao Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Acompanhada pelo namorado, chegaram ao local às 9h.


Variados idiomas
Ao caminhar ao longo da Avenida Rio Branco era possível ouvir variados idiomas. Bandeiras dos países da América do Sul eram vistas por todos os lados, assim como as dos Estados Brasileiros.

Velho ou novo, todos ali tinham um motivo para ver o Papa Francisco. Um menino de apenas três anos, Miguel Gonçalves, pediu a mãe, Talita Gonçalves, 29, que o levasse para este encontro, pois, tinha uma reunião com o Santo Padre. A mãe atendeu ao pedido e o levou para a “reunião”.

Centenas de câmeras fotográficas, aparelhos celulares e diversos equipamentos eletrônicos iam sendo acionados durante todo o percurso. “Eu tirei várias fotos, mas nem sei como ficaram. O que importa é que eu estava olhando pra ele e sua imagem vai ficar gravada para sempre. Eu estava na Catedral quando ele chegou, e quando ele saiu eu corri até o fim para acompanha-lo. Emoção sem igual”, falou a carioca Eslael Rodrigues, 47. 

Alguns voluntários tiveram a graça de serem abençoados pelo Pontífice. Acenavam para o Papa pedindo permissão para ir até ele, que prontamente permitia. Juliana Oliveira, voluntária do Cordão de Isolamento foi abençoada. “Uma emoção indescritível. Ele apertou a minha mão, eu disse que o amava e ele me abençoou”, vibrou.

FONTE: JMJ Rio 2013 - 22/07/2013

Nenhum comentário: