quinta-feira, 18 de julho de 2013

Adolescentes e jovens realizam missão na região do Alto Xingu (PA)


Um grupo de 15 adolescentes, jovens e adultos participaram, nos dias 7 a 14 de julho de uma experiência missionária na região do Alto Xingu (PA). A iniciativa teve a coordenação do padre André Gamba, missionário xaveriano e coordenador da Infância e Adolescência Missionária (IAM) do Estado do Pará e assessor da Juventude Missionária (JM).

A experiência faz parte do processo de formação para os jovens da JM na cidade de Belém. O itinerário que começou com ações solidárias na comunidade situada no perímetro do lixão do Aurá, num segundo momento passa pelo município de Ananindeua e terá como ápice, uma visita à diocese de Lichinga em Moçambique, no ano de 2014.

O trabalho se deu de forma mais ativa na comunidade Vila da Paz, localizada na periferia da cidade de Tucumã, a cerca de 900 km da capital paraense. A programação teve também como foco conhecer a realidade do povo do sul do Pará, suas dificuldades, seus principais problemas sociais e pastorais.

Logo na viagem, os jovens puderam perceber as condições precárias das estradas. No primeiro dia, pela manhã conheceram um pouco da história de como os primeiros migrantes chegaram à cidade. Chamou a atenção como foi feita a escolha do padroeiro da cidade de Tucumã. Segundo os moradores, logo quando chegaram as primeiras empresas foi construída uma igreja no estilo europeu que tinha como padroeiro São José Operário. Em seguida, construiu-se outra tendo Nossa Senhora Aparecida como padroeira. Mas era preciso decidir qual santo seria o padroeiro da cidade. Para isto foi realizado um plebiscito onde o povo escolheu a Santa como Padroeira.

Durante a semana, os jovens pela manhã, realizavam visitas às casas da comunidade da Paz. No período vespertino e noturno realizavam outras atividades, como conhecer e visitar a Fazenda da Esperança que acolhe dependentes químicos. Segundo Jhonnata Cardoso, de 16 anos, que participa da IAM desde criança, o que mais chamou sua atenção foi o tratamento dos dependentes sem uso de medicação e sua esperança em Deus.

Os missionários também tiveram oportunidade de conhecer um pouco da agricultura familiar e o assentamento do MST que é acompanhado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) na cidade. A coordenação da CPT local, que acompanha diversas problemáticas na região do alto Xingu explicou aos jovens que a Pastoral realiza campanhas contra o trabalho escravo e busca conscientizar as pessoas sobre seus riscos. Falou também sobre as dificuldades encontradas pelas comunidades em vista da exploração da terra realizada por diversos motivos.

Na quinta-feira, os jovens visitaram a aldeia dos índios Kayapós, localizada na cidade de Ourilândia do Norte, onde vivem cerca de 300 pessoas. Realizou-se ainda encontros com as crianças do bairro, celebrações, encontros com os jovens. Tiveram oportunidade também de realizar trocas de experiências com os grupos de IAM da paróquia e com os grupos da pastoral da juventude das cidades de Tucumã e Ourilândia do Norte.

Na avaliação da semana muitos destacaram que aprenderam muito com o povo e voltavam para casa com o ardor missionário renovado.

Para a cearense Arlane Markely, de 24 anos, “a experiência de sair para ir ao encontro do outro nos faz cada vez mais missionários. Ir até Tucumã nos deixou com a mente e o coração mais abertos. É gratificante perceber que o trabalho voluntário de tantos leigos e religiosos fazem grande diferença na vida do povo”, disse. “A experiência nos ensinou que, o perdão deve ser diário, seja com as pessoas que precisam de nova chance para recomeçar a vida por que em algum momento foram usuários de drogas ou de nós mesmos que muitas vezes nos dizemos cristãos comprometidos e fechamos nossos olhos para a realidade do povo no mundo, os ensinamentos de Jesus devem ser praticados em todos os lugares. É preciso partir e contribuir de forma mais ativa na missão”, completou a jovem.

Fonte: IAM e JM no Pará

Nenhum comentário: