quinta-feira, 18 de abril de 2013

Detalhes da JMJ Rio2013 são apresentados aos bispos brasileiros

O andamento das inscrições, detalhes da programação fixa e o planejamento da mobilidade dos peregrinos durante a JMJ Rio2013 são algumas das informações apresentadas aos bispos do Brasil na 51ª Assembleia Geral que acontece desde o dia 10 de abril, em Aparecida/SP. A apresentação foi feita na manhã desta quarta-feira, dia 17, pelo arcebispo do Rio de Janeiro e presidente do Comitê Organizador Local, Dom Orani João Tempesta, e pelo secretario-executivo do COL, monsenhor Joel Portella Amado.

Dom Orani iniciou o momento fazendo uma apresentação geral da Jornada. O arcebispo falou da alegria da Arquidiocese do Rio de Janeiro em assumir a realização da JMJ e de como tem percebido a boa vontade dos bispos em promover e abraçar a JMJ em suas dioceses e realidades. Em seguida, apresentou rapidamente as principais notícias e trabalhos em andamento na organização do evento, entre eles o cotidiano do peregrino durante a JMJ, a transmissão televisiva e radiofônica, a preparação dos locais dos Atos Centrais, como o Campus Fidei. Também falou do centro de operações que começou a funcionar e o aplicativo para smartphone que começou a ser desenvolvido, a preocupação pela segurança e comodidade dos participantes e o protagonismo da juventude na preparação da Jornada.

Nosso trabalho tem sido grande. Ás vezes saem notícias que nem sempre correspondem a verdade [...] Mas tem sido uma alegria para todos nós, para os bispos que nos assessoram de perto em toda a parte administrativa e pastoral, nos dá uma alegria muito grande contribuir para a Igreja do mundo e para o futuro da humanidade através da Jornada Mundial da Juventude”, afirmou Dom Orani.

O secretario-executivo do COL apresentou a parte mais detalhada da JMJ Rio2013 ao oferecer informações mais aprofundadas em assuntos que foram notadas como as maiores dúvidas. Foram destacados seis pontos: programação, organização, chegada e partida do Rio, acomodações, deslocamentos e paramentos.

A Jornada Mundial da Juventude também foi um dos temas da entrevista coletiva do dia, promovida pela CNBB diariamente durante a edição da Assembleia Geral. Na ocasião, Dom Orani respondeu perguntas dos jornalistas presentes para a cobertura.

Programação da Jornada
Para esclarecer algumas dúvidas sobre as atividades da JMJ, monsenhor Joel apresentou as cinco grandes linhas de programação. Os Atos Centrais (Missa de abertura, acolhida do Papa, Via-Sacra, Vigília e Missa de envio). Nas Catequeses os peregrinos devidamente inscritos poderão participar de momentos de formação com bispos do mundo todo, entre os dias 24 e 26 de julho, das 9h às 13h, separados por grupos linguísticos distribuídos em cerca de 300 locais por toda a cidade. Também há os Atos Culturais, que são reunidos na agenda do Festival da Juventude.

A maior parte das dúvidas e especulações está em outros pontos da agenda. Os Atos Especiais, que podem ser com ou sem o papa, englobam visitas do Santo Padre a grupos previamente selecionados e/ou eventos especiais para os bispos, por exemplo. Já os Atos Protocolados, remetem a programação do Papa como chefe de Estado e, por enquanto, já estão fechados três: a chegada e a saída do Sumo Pontífice e o encontro com a presidente do Brasil. Segundo Monsenhor Joel, o Comitê deve receber a visita do responsável pelas viagens do Santo Padre, Alberto Gasbarri, no final de abril, e no início de maio já deve surgir mais detalhes sobre essas agendas.

Zonas de referências para diminuir mobilidade de peregrinos
Outra preocupação dos bispos é a mobilidade durante a Jornada e como serão distribuídas as atividades pela cidade. O secretario explicou a organização da Jornada por sede e subsedes e que a região metropolitana será dividida em zonas de referências, organizadas por línguas. Cada zona terá um raio de circulação médio de 7km e contará com um ponto de referência, o local da catequese, hospedagem (familiar e alojamentos) e distribuição de café da manhã para os peregrinos.

Com a imagem do mapa geográfico da cidade, Monsenhor Joel apresentou o fluxo de mobilidade no Rio e como, a partir dai, serão planejados os locais das zonas de referência. “Se o Rio de Janeiro tem belezas, com montanhas e praias, isso é uma preocupação para os técnicos. E o conceito de zonas de referência é um conceito que vence isso”, afirmou. No mapa, mostrou onde acontecerão os Atos Centrais e a preocupação da organização para que os grandes deslocamentos de peregrinos sejam somente em direção de Copacabana e Guaratiba.

Transporte fretado será organizado em bolsões
A chegada e a saída ao Rio são divididos pelos dois aeroportos e a rodoviária. Nesses pontos, haverá um polo de acolhimento para informações e o direcionamento dos peregrinos até as zonas de referência.

Os veículos fretados não entrarão na cidade e tem uma dinâmica diferenciada, estacionados em bolsões em pontos da cidade. Segundo Pe. Joel, a organização desse transporte será feito em duas etapas. Primeiro eles farão uma checagem em uma cidade no caminho ao Rio de Janeiro, onde ganharão adesivos ou outro tipo de sinalização de circulação, e depois terão acesso aos bolsões de estacionamento na entrada do Rio. Por enquanto, foram planejados três bolsões de checagem: um em Aparecida/SP, para os veículos que vem do Mato Grosso do Sul e dos três Estados da região sul; outro em Casemiro de Abreu/RJ, para os peregrinos que chegam do sul da Bahia e do Espírito Santo; e em Petrópolis/RJ, de Minas Gerais e das regiões do Norte e Nordeste do Brasil.

Os bolsões de estacionamento serão localizados nas seguintes regiões cariocas: Deodoro, Penha, Quinta da Boa Vista e em Santa Cruz. Desses locais, os peregrinos irão se locomover através do transporte público municipal. Os veículos próprios terão circulação restrita. Todo o planejamento de transporte ainda está sendo definido em unidade entre o COL e os poderes públicos responsáveis, o que pode gerar mudanças ao longo da preparação para o evento.

Números de inscrição
Ao final, Monsenhor Joel falou sobre a não obrigatoriedade da inscrição, mas a importância dela para a partilha de custos da Jornada. Assinalou ainda as vantagens de participar como peregrino, ou no caso dos bispos, credenciado, como seguro, acesso aos transportes, alimentação e kit.

Também foram apresentados números atuais sobre as inscrições. Até a noite de sexta-feira, dia 12, 196.901 peregrinos já tinham iniciado o procedimento de inscrição, sendo que destes, 125.749 já completaram o processo. São 10.204 grupos de 165 países, de todos os continentes. Os brasileiros, claro, são maioria, com 73.804 peregrinos, 58% dos inscritos até o momento. A maioria é composta por mulheres, com 67% dos peregrinos. Outro número representativo são os quase 500 deficientes que já garantiam sua participação na Jornada e contarão com várias medidas de acessibilidade na JMJ Rio2013.

FONTE: http://www.rio2013.com - 17/04/2013

Nenhum comentário: