terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Jovens discutem diretrizes da Igreja para as expressões juvenis no Brasil


Natal (RN) acolheu nos dias 14 a 17, o Encontro Nacional de Coordenadores de Pastorais e Movimentos que trabalham com juventude. O evento, organizado pela Comissão Episcopal para a Juventude, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), discutiram as diretrizes da Igreja em relação à juventude, dando seguimento aos encontros que já aconteceram em anos anteriores, em Mariápolis (SP) e Natal.

Durante o encontro o presidente da Comissão para a Juventude da CNBB, dom Eduardo Pinheiro, enfatizou a importância do encontro, levando em consideração que a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um evento que será breve, mas que deixará muitas marcas, principalmente na organização juvenil da Igreja.

Dom Eduardo afirmou que a juventude mora no coração da Igreja e uma das provas disso são os documentos elaborados. “Bispo nenhum mudará a realidade se o povo não quiser, não é só o documento que incentiva, mas, também o trabalho na base”, disse.

O prelado acrescentou ainda alguns acontecimentos recentes que marcaram a evangelização da juventude, mais antes da JMJ ser discutida. Citou, entre muitos eventos, a partir de 2007, a aprovação do documento 85 da CNBB, “Evangelização da Juventude”; o pedido episcopal ao papa Bento XVI para a realização da Jornada Mundial da Juventude no Brasil; a criação da equipe jovem de comunicação; a criação da Comissão Episcopal da Juventude e do site Jovens Conectados; o seminário dos 30 anos do Documento de Puebla; a organização da coordenação pastoral juvenil nacional; o envio da delegação brasileira à JMJ de Madri, Espanha, onde o papa entregou os ícones do evento que começaram então a peregrinar pelo Brasil; e, por fim, a aprovação da Campanha da Fraternidade para a juventude.

A coordenação da Pastoral Juvenil Nacional fez o esboço do 21º Plano do Secretariado Ncaional da CNBB. O assessor da Comissão para a Juventude da CNBB, padre Toninho falou sobre o Ano da Fé convocado pelo papa que retoma as três virtudes teológicas: fé, esperança e caridade. “O Ano da Fé propõe impulsionar a Igreja Missionária com o compromisso para uma conversão completa, fortalecendo a nossa fé em Cristo e anunciar a fé ao homem do nosso tempo. Assim, o ano da Fé tem por finalidade a renovação da Igreja, a escuta aos jovens, uma nova evangelização e novas linguagens e tecnologia”, explicou Toninho.

Os participantes do encontro foram divididos em grupos para discutir a Carta Porta Fidei e o pronunciamento do papa sobre o Ano da Fé no contexto de crise de fé da atualidade. Houve também o lançamento da CF-2013 na catedral de Natal, que contou com a participação dos jovens. No sábado, 16, após a celebração eucarística presidida pelo arcebispo de Natal, dom Jaime Vieira Rocha, aconteceu o lançamento do Documento 103 da CNBB, “Pastoral Juvenil no Brasil – Identidade e Horizontes”. Dom Eduardo foi quem apresentou o conteúdo do novo documento, que, segundo ele deve ser “suporte e facilitador do Documento 85”.

Thiesco Crisóstomo, secretário nacional da Pastoral da Juventude (PJ), apresentou a proposta da coordenação nacional, seus objetivos e missão e estratégias de revitalização da pastoral juvenil no Cone Sul e Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam).

Um dos últimos momentos do encontro nacional foi a discussão acerca de organização. A Juventude Missionária pediu mais comunicação, principalmente nas bases, entre coordenador adulto e jovem. O também assessor da Comissão para a Juventude, padre Carlos Sávio, esclareceu algumas dúvidas acerca da JMJ, sua estrutura, acolhida dos peregrinos. O evento foi encerrado com uma avaliação e a coordenação fez a oração final e de envio.

Informações: Sara Guerra
Coordenadora da JM no Ceará

Nenhum comentário: