domingo, 16 de dezembro de 2012

Famílias Missionárias, fonte de vida e comunhão para a Missão



Promover a consciência da missão universal nas famílias e despertar vocações missionárias comprometidas com o anúncio do Evangelho e a favor da Vida, são os principais objetivos das Famílias Missionárias, uma das atividades coordenadas pela Pontifícia Obra da Propagação da Fé (POPF).

Na 5ª Assembleia Nacional da Obra que acontece entre os dias 13 e 16, em Brasília (DF), as Famílias Missionárias estão representadas por dois casais: Elaine Nayara Dantas e Randenclécio de Souza Xavier, de Natal (RN), e Irene Lima Batista e Moisés Cândido Batista residentes no Gama (DF).

Em 2012 foram realizados dois encontros em Brasília, com a participação de oito casais para formular uma proposta de trabalho para formar grupos de Famílias Missionárias no Brasil. “O projeto ainda está em construção e foi elaborado a partir das experiências com a Infância e Adolescência Missionária”, explicou Randenclécio de Souza. “Vale a penas a gente somar nessa ideia”, completou para, em seguida, apresentar o tema: “Famílias Missionárias: Fonte de Vida e Comunhão”, e lema: “Famílias em missão, vidas em doação!”.

Muitas vezes temos as crianças, os adolescentes e jovens envolvidos com a missão, mas os pais, as tias, as avós ficam em casa assistindo tele novelas. São essas pessoas que as Famílias Missionárias querem atingir de forma direta”, destacou Randenclécio. “Não se trata de trabalhar com casais, mas com a família num sentido mais amplo, nas diversas situações. Este será o nosso diferencial”.

Na prática a ideia é formar grupos de até sete famílias que no decorrer do mês terão uma reunião de formação. O material temático será oferecido pelo Secretariado Nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé, sob a coordenação do padre Marcelo Gualberto Monteiro, o secretário nacional da Obra. No decorrer do mês cada Família Missionária é convidada a viver os compromissos missionários propostos pela Pontifícia Obra da Propagação da Fé, incluindo uma auto avaliação de como foi a vivência familiar naquele mês.

Fortalecer as famílias missionárias a viver em estado permanente de missão, realizar encontros das famílias missionárias refletir e partilhar, desenvolver atividades de formação e animação missionária, despertar nas famílias a vocação missionária além–fronteira e ad gentes, são alguns dos objetivos específicos da atividade.

O símbolo escolhido é o da Sagrada Família Peregrina que, segundo o padre Marcelo, recorda o envio missionário. “Assim como José foi enviado por Deus para o Egito com a finalidade de salvar o Menino e sua Mãe, para que a Missão aconteça é necessário o envio divino”, explicou.

Quanto à organização, cada grupo de Famílias Missionárias deve ter um casal coordenador para animar e distribuir as tarefas do grupo e ainda um casal assessor.

O projeto prevê também uma celebração mensal realizada em uma das casas reunindo as famílias do grupo bem como aquelas visitadas durante o mês. Durante a celebração haverá um ofertório para a cooperação missionária, onde as famílias do grupo farão sua oferta. Após a celebração, para viver a fraternidade, a proposta é fazer uma partilha com os alimentos que cada família trouxer para o encontro.

“Para 2013 esperamos alcançar muitas famílias. É preciso seguir o exemplo da Sagrada Família por que os nossas lares hoje estão necessitadas do anúncio do Evangelho. Acreditamos que a metodologia proposta vai atingir esse objetivo por que começa com as famílias das crianças da IAM e da Juventude Missionária, expandindo-se para outras famílias. As portas estão abertas para o nosso trabalho”, avalia Moisés Cândido Batista.

A Pontifícia Obra da Propagação da Fé acompanha quatro atividades: Famílias, Idosos, Enfermos e Juventude Missionária. A Assembleia reúne na sede das Pontifícias Obras Missionárias, 40 pessoas representantes dessas atividades em todo o Brasil.


Jaime Carlos Patias
FONTE: POM

Nenhum comentário: