sábado, 15 de dezembro de 2012

Enfermos e idosos contribuem para a propagação da fé



A Pontifícia Obra da Propagação da Fé (POPF) desenvolve atividades com Famílias Idosos, Enfermos e Juventude, numa perspectiva missionária. Essas quatro atividades se encontram representadas na 5ª Assembleia Nacional da Obra que reúne, entre os dias 13 e 16, em Brasília (DF), cerca de 40 pessoas de todo o país com a finalidade de avaliar os trabalhos e definir a programação para 2013.

“Na alegria ou na dor, pertencemos ao senhor!” Com esta lema, a atividade com os idosos e enfermos missionários começa a ser organizada no Brasil. No estado do Paraná, uma forte referência para a animação missionária é o saudoso padre Fabiano Kachel, da Congregação do Verbo Divino, falecido em março de 2011. Um dos maiores estudiosos em missiologia no Brasil, padre Fabiano, implantou em 1992, nas dioceses de Curitiba e São José dos Pinhais (PR), a Infância e Adolescência Missionária (IAM). Porém, segundo dona Lúcia Niquelasso Schefer, admiradora do religioso, ele foi um grande incentivador das quatro Pontifícias Obras Missionárias (Propagação da Fé, Infância e Adolescência, Obra de São Pedro Apóstolo e União Missionária).

Dona Lúcia recorda que ao perceber que só se falava na IAM, padre Fabiano um dia lhe disse: “Vocês acham que uma cadeira ficaria em pé com uma perna só?”. Isso para dizer que, para uma boa animação missionária é preciso contar com todas as Obras. Na Assembleia dona Lúcia informou ainda que a Propagação da Fé, no Paraná, conta hoje com 37 grupos, sendo 31 em São José dos Pinhais, cinco em Ponta Grossa e um em Curitiba. Somente na sua paróquia, Bom Jesus, existem 10 grupos.

Seguindo um livro preparado pela diocese nós temos dois encontros mensais com reflexões, orações e a oferta espontânea para a Obra”, explicou dona Lúcia. “Precisamos insistir na Propagação da Fé. Para 2013, na província Eclesiástica de Curitiba composta por seis dioceses, pretendemos criar novos grupos. Não é mérito meu, mas de Deus e da persistência do padre Fabiano. Com o seu falecimento os grupos se fortaleceram ainda mais. Vale a pena por que agente pode trabalhar com todas as idades. O ideal seria termos pelo menos um grupo em cada diocese”, completou.


O secretário nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé, padre Marcelo Gualberto Monteiro, destacou os esforços para unificar as quatro atividades da Obra (Famílias, Idosos e Enfermos e Juventude Missionária), que juntas têm como única finalidade a propagação da fé. “A ideia é que uma atividade se entrelace com a outra. A JM é a mais conhecida e articulada, mas a própria juventude, nas suas ações, deve ter em conta as quatro atividades da Obra”, afirmou padre Marcelo. Está previsto a produção de materiais (folders e cartazes) de divulgação da Propagação da Fé para tornar a Obra mas conhecida. Além dos grupos de Propagação da Fé a ideia é organizar grupos de agregados à Obra com uma programação própria.

No estado de Sergipe a atividade da União dos Enfermos e Idosos Missionários começa a dar os primeiros passos. Na cidade de Lagarto, diocese de Estância (SE) existe um grupo com 40 pessoas iniciado pela jovem Fernanda Rodrigues Santana que integrante da JM. A meta é abrir novas frentes de trabalho. É o que explica a senhora Maria Rufina de Jesus Nascimento. Ela conta que já vinha trabalhando junto aos doentes e idosos quando a sua filha Gicelma, assessora da IAM, lhe falou da Obra da Propagação da Fé.
Tomar consciência da realidade missionária, partilhar à luz da Bíblia, cultivar a espiritualidade, assumir o compromisso de ser missionário com o sacrifício do cofrinho, visitar os doentes, idosos e pessoas necessitadas, realizar atividades de lazer e participar da vida da comunidade”, são, segundo dona Maria Rufina, algumas das ações do grupo. Ela explica que até o mês de março de 2013 estão previstos a criação de outros quatro grupos nas paróquias da mesma diocese.

Irmã Maria Alice da Silva, da Congregação das Irmãs Ministras dos Enfermos de São Camilo, após cinco anos de trabalho em Sergipe acaba de se transferir para Monte Negro (RS) onde trabalha no Lar Sagrada Família, casa que acolhe idosos e doentes. A religiosa explica que, movida pelo carisma da sua congregação, “sente-se convocada por Deus para o serviço em favor dos idosos e enfermos. O carisma da minha congregação é ser testemunha de Deus misericordioso junto aos enfermos e mais necessitados”. Indicada pela jovem Fernanda e atendendo ao convite do padre Marcelo, Irmã Maria Alice pretende ser uma pessoa de referência nessa atividade. Para ela os grandes incentivadores do trabalho com idosos e enfermos deveria ser a Juventude Missionária. “Precisamos trabalhar juntos”, concluiu.

Jaime Carlos Patias
FONTE: POM

Nenhum comentário: