quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Referências de todo o Brasil visitam Comitê Organizador Local (COL) da JMJ Rio 2013.



Mais um passo foi dado para construir a Semana Missionária, que será realizada nos dias anteriores a JMJ Rio2013. Referenciais de todos os Regionais do Brasil estiveram reunidos nesta segunda-feira, 8, no Comitê Organizador Local (COL) da Jornada. A visita ao Rio de Janeiro segue uma programação até esta quarta-feira, 10, com visitas aos locais de Atos Centrais e na Casa de Retiro Santa Maria Mãe de Deus, em Pedra de Guaratiba.

"É uma visita histórica, pois me encontro com este povo sempre em Brasília e, desde o início do ano, já sonhavam com esta reunião no Rio", afirmou o diretor do Setor de Pré-Jornada, padre Jefferson Gonçalves. "Muitos deles nunca vieram à Cidade Maravilhosa. Dentro da CNBB, nossa Igreja do Brasil está organizada em 17 regionais. Estes que virão, estão justamente responsáveis pela Semana Missionária em todo país". O objetivo é alinhar diversos assuntos acerca da Semana Missionária da JMJ Rio2013.

Na pauta da reunião, eles esclareceram dúvidas sobre a Feira Vocacional, comunicação, inscrições e hospedagem. "Queremos fortalecer o uso da logomarca e divulgar a Semana Missionária e a JMJ Rio2013 em todas as dioceses", disse padre Jefferson.

Para padre Sávio Ribeiro, assessor nacional da Comissão Episcopal Pastoral para Juventude da CNBB, este é um momento para as dioceses entenderem tudo sobre a JMJ e a Semana Missionária. "Queremos dirimir todas as dúvidas", disse.

Entre os participantes, padre André Torres, da Regional Sul 1 (São Paulo), ressaltou a importância do encontro para a unidade da Igreja no Brasil. "É preciso unir quem pensa a JMJ no Rio com a Igreja pelo Brasil afora", disse. "Estamos muito animados e envolvidos. Os jovens estão no maior pique, realizando várias atividades para divulgar a JMJ".

O padre Ginesson Silva, da arquidiocese de Olinda e Recife, disse que é o momento de potencializar o processo de articulação. "Tudo é grande e desafiante", disse. "Aos poucos, estamos dando corpo, organizando equipes, encaminhando a pauta. Temos um norte".

Já padre Marcelo Gualberto, das Pontifícias Obras Missionárias, de Goiás, disse que este trabalho "facilita o encontro de informações e nos anima". "Queremos somar forças como Igreja. É preciso fortalecer o grupo que articular as ações nos estados", afirmou.

Nenhum comentário: