sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Como anda a missão em Moçambique



Terminou na manhã desta quarta-feira, 8 de agosto, a visita oficial das Pontifícias Obras Missionárias (POM) do Brasil feita pelo seu diretor, padre Camilo Pauletti, a Moçambique, país que fica na costa oriental do continente africano e tem pouco mais de 20 milhões de habitantes.

A viagem começou no dia 19 de julho, logo após o 3º Congresso Missionário Nacional que aconteceu em Palmas (TO) com objetivos pré-definidos: fazer contato com os missionários brasileiros que lá se encontram (cerca de 200) e visitar o povo que o acolheu quando também foi missionário entre 1999 e 2004, e em 2006. Faz a visita pela segunda vez. A primeira aconteceu em 2008.

Foi uma benção de Deus visitar Moçambique. Encontrei-me com meu querido povo, como lembram com carinho e alegria. Foi festa com dança. Recordam-nos e manifestam uma satisfação em nos receber. Naquele país há em torno de 200 missionários brasileiros e eu me encontrei com 80 deles. São muito queridos pelo povo, são sempre bem-vindos. É muito bonito ouvi-los dizer que querem bem aos nossos missionários”, relatou.

Padre Camilo visitou em torno de 20 casas, chamadas de missões e fez três encontros com missionários brasileiros, sendo que dois foram no norte, Nampula e Cuamba-Niassa e outro em Maputo, capital do país. “O objetivo era ver, ouvir, sentir nossos missionários. Uma visita como esta sempre faz bem a quem está em missão, pois sentem a distância do nosso país e do nosso povo brasileiro pela falta de meios de comunicação nem sempre eficazes e disponíveis para manter o contato”.

Os missionários em Moçambique quiseram saber como foi o 3º Congresso Missionário Nacional e padre Camilo disse a eles que foi positivo, participativo e alcançou as expectativas. Informou sobre a caminhada missionária da Igreja no Brasil, a realidade sócio-política atual e a preparação da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que acontecerá no Rio de Janeiro em 2013. Soube que Moçambique se organiza para enviar pessoas ao evento.


Mudanças
Quando elas acontecem podem transformar realidades, seja de maneira positiva ou negativa. Em Moçambique ainda não se pode avaliar seu impacto, mas elas estão aparecendo. Segundo padre Camilo, algumas melhorias como energia elétrica, telefone e transporte tem facilitado a vida do povo. Empresas e indústrias internacionais também investem no país. “As melhorias apareceram, mas a realidade ainda é dura; o povo continua sofrendo e vivendo abandonado. A qualidade de vida melhorou pouco, mas não faltam esperança e alegria de viver”.

Em encontro com o diretor das POM de Moçambique, o padre Pére Atanasio Amisse Canira, o diretor do Brasil ouviu sobre os anseios, necessidades e desafios do trabalho missionário em Moçambique. Lá falta material e dinheiro para que a dimensão missionária seja desenvolvida com vigor. “Materiais que no Brasil enviamos para uma diocese, lá eles distribuem para o país inteiro, são dificuldades às vezes que nem imaginamos, mas que existem e tornam-se desafiantes”, contou padre Camilo.

Mesmo com as dificuldades, os frutos têm aparecido: a Infância e Adolescência Missionária (IAM) tem crescido e, as POM do Brasil deverá colaborar, a partir do próximo ano, com materiais e assessorias para que a Obra continue se desenvolvendo. “Eu só tenho a parabenizar os nossos missionários que estão lá e se dedicam com tanto amor. Bendigo a Deus por esta oportunidade da visita e do apoio a nossa gente corajosa. Que outros despertem para a missão além- fronteiras”.

Para irmã Maria Beatriz Mohr, da Congregação da Divina Providência, que atua há dois anos em Moçambique, a visita do padre Camilo foi importante para deixar os missionários a par da vida eclesial da Igreja no Brasil, pela demonstração de preocupação com os brasileiros e moçambicanos, como também pelas notícias da vida social trazidas do Brasil. “Padre Camilo partilhou com profundidade o contexto missionário da Igreja no Brasil, nos fez sentir ligados à Igreja que nos enviou e ouvimos sobre a realidade política preocupante do nosso país”, comentou em um relatório enviado às POM nesta quinta-feira.

Também se manifestou pela visita das POM do Brasil a Arquidiocese de Nampula, através da paróquia de São Miguel Arcanjo. “É com muita alegria e carinho que recebemos o missionário Camilo Pauletti. Manifestamos a nossa gratidão pela sua elevação para o ministério nas POM; Deus lhe abençoe e lhe dê graças”, escreveram, em nome de todo o povo, animadores moçambicanos em uma máquina datilografia.


FONTE: POM - www.pom.org.br


Nenhum comentário: