quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

ÁFRICA/SOMÁLIA - Aumenta o custo dos gêneros alimentares. 250 mil pessoas continuam famintas



Depois de uma pausa de vários meses, eclodiram novamente na Somália os confrontos e combates entre clãs, e entre 16 e 19 de janeiro, oito pessoas morreram. Além da falta de segurança no país, há também um aumento da inflação. O custo do milho aumentou em 15% nos últimos dois meses e 250 mil pessoas ainda estão sofrendo fome. Desde julho de 2011, graças ao apoio da associação internacional SOS Aldeias das Crianças, engajada na acolhida de menores órfãos ou provisoriamente afastados de suas famílias, foram salvadas mais de 78 mil pessoas vítimas da carestia através do fornecimento de serviços médicos, alimentos, água e outros gêneros de primeira necessidade. O objetivo é alcançar 100 mil pessoas nos próximos meses, principalmente depois do abandono forçado de 16 ONGs do país. 

O hospital 'SOS' permanece fechado e o 'Centro Médico temporário 'SOS' recebe de 400 a 600 pacientes por dia. Mais de 7.300 desalojados estão sendo abrigados no acampamento de refugiados de Badbado, em Mogadíscio. Graças aos programas de alimentação terapêutica e de vacinação ativos no campo para curar a diarreia, o sarampo e a malária, milhares de crianças e mães foram salvas. Na Etiópia, em Gode, prossegue a distribuição de alimentos e produtos para filtrar água. Em Marsabit, no Quênia, 3 mil crianças são diariamente nutridas graças ao programa de alimentação escolar 'SOS'. A água potável é fornecida regularmente às escolas e aldeias e quase 2 mil famílias usufruem gratuitamente de remédios e vouchers para obter alimentos e viveres nas lojas.

FONTE: Agência Fides - 30/01/2012

Nenhum comentário: