sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

ÁSIA/PAQUISTÃO - Jovem cristã sequestrada e convertida ao islã volta à casa depois de 10 anos

Nadia Bibi, jovem cristã que foi sequestrada e obrigada a se casar com um muçulmano, retornou à sua família, católica, depois de 10 anos. Nadia tinha apenas 15 anos quando, em 2001, foi sequestrada em Mariamabad (Punjab), cidade de maioria católica: seu caso não é isolado, pois como confirmam fontes católicas da Fides em Punjab, pelo menos 700 jovens cristãs são sequestradas e forçadas a um matrimônio islâmico por ano.

Somando aos casos de jovens hindus, este número chega a 1.800 casos anuais - afirma um recente relatório da Ong "Asian Human Rights Commission". Os pais de Nadia se dirigiram à polícia, mas como quase sempre acontece, foram intimidados e ameaçados pelos sequestradores e a polícia se recusou em registrar a denúncia. Em seguida, quando souberam que Nadia foi obrigada a se casar com o muçulmano Maqsood Ahmed, os pais voltaram à polícia, conseguindo, desta vez, registrar a denúncia FIR (First Information Report). No entanto, os policiais se negaram a prendê-lo e o caso terminou diante da Alta Corte de Lahore. Nadia, ameaçada e temendo consequências trágicas para si e sua família, depôs em favor do marido, declarando livremente querer se casar com ele. Assim, o caso foi encerrado.

No entanto, a vida de Nadia se tornou insuportável: Maqsood a agredia e maltratava, pedindo-lhe para que convertesse ao islã também seus pais. Depois de 10 anos, em dezembro de 2011, Nadia encontrou forças para fugir, retornando à casa de seus pais. Todavia, Maqsood reapareceu com um grupo de homens armados, ameaçando fazer um massacre e sequestrar a irmã menor de Nadia. A família teve que fugir e se dirigiu à Ong CLAAS (Center for Legal Aid Assistence and Settlement) que tutela cristãos paquistaneses. CLAAS hospedou Nadia e sua irmã em um lugar protegido e abriu uma nova causa penal contra Maqsood.

Como informado pela CLAAS à Fides, Nadia declarou: "Maqsood fez da minha vida uma desgraça. Temia ser morta porque Maqsood sabia que não era feliz com ele. Sentia-me totalmente impotente e muito confusa. Maqsood é desumano, estragou minha vida. Agora, readquiri esperança e fé".

A história de Nadia é exemplar e retrata um clichê que se repete em muitos outros casos, como o de Farah Hatim, sequestrada e convertida ao islã em 2011. Seu caso também se concluiu com uma declaração, forçada, feita ao tribunal em favor de seu algoz mas algumas ONGs internacionais denunciaram o episódio às Nações Unidas.

FONTE: Agência Fides - 24/1/2012

Nenhum comentário: