quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

VATICANO - Mensagem de Natal: "O Senhor socorra a humanidade ferida por tantos conflitos, que ainda hoje ensanguentam o Planeta"



"Neste Natal de 2011, dirijamo-nos ao Menino de Belém, ao Filho da Virgem Maria e digamos: «Vinde salvar-nos»!. Repitamo-lo em união espiritual com tantas pessoas que atravessam situações particularmente difíceis, fazendo-nos voz de quem a não tem". É o convite expresso pelo Santo Padre Bento XVI durante a Mensagem natalina proferida na Solenidade do Natal do Senhor, do Balcão externo da Basílica Vaticana.

O Papa convidou a rezar pelas populações do Chifre da África "que padecem fome por causa das carestias, por vezes ainda agravadas por um estado persistente de insegurança" e pelos "numerosos refugiados vindos daquela Região"; pelas populações "da Tailândia e das Filipinas, que se encontram ainda em graves situações de emergência devido às recentes inundações". "O Senhor socorra a humanidade ferida por tantos conflitos, que ainda hoje ensanguentam o Planeta - prosseguiu o Pontífice -. Ele, que é o Príncipe da Paz, dê paz e estabilidade à Terra onde escolheu vir ao mundo, encorajando a retoma do diálogo entre israelitas e palestinos. Faça cessar as violências na Síria, onde já foi derramado tanto sangue. Favoreça a plena reconciliação e a estabilidade no Iraque e no Afeganistão. Dê um renovado vigor, na edificação do bem comum, a todos os componentes da sociedade nos países do Norte da África e do Médio Oriente. O nascimento do Salvador sustente as perspectivas de diálogo e colaboração no Mianmar à procura de soluções compartilhadas. O Natal do Redentor garanta a estabilidade política nos países da região africana dos Grande Lagos e assista o empenho dos habitantes do Sudão do Sul na tutela dos direitos de todos os cidadãos". No final da Mensagem, o Papa proferiu seus votos de Natal em 65 línguas. 

Também no dia de Santo Estevão, 26 de dezembro, o Pontífice rezou a oração do Angelus da janela de seu escritório com os fiéis reunidos na Praça São Pedro. Em seu discurso, o Santo Padre recordou a personalidade de Estevão, "homem de oração e evangelização, cujo nome significa coroa, que recebeu de Deus o dom do martírio". E em seguida, recordou que depois da geração dos Apóstolos, os mártires adquiriram "um lugar de primeiro plano na consideração da Comunidade cristã". Nos tempos de maior perseguição, seu testemunho reforçou o caminho dos fiéis e encorajou aqueles que buscam a verdade a converter-se ao Senhor. "Assim como na antiguidade, ainda hoje, a sincera adesão ao Evangelho pode exigir o sacrifício da vida e muitos cristãos, em várias partes do mundo, são expostos a perseguições e por vezes ao martírio".

Após a oração do Angelus, o Pontífice recordou as violências ocorridas na Nigéria no dia de Natal com estas palavras: "O Santo Natal desperta em nós, de modo ainda mais forte, a oração a Deus para que segure as mãos dos violentos, daqueles que semeiam morte; e para que a justiça e a paz reinem no mundo. No entanto, nossa terra continua sendo manchada pelo sangue de inocentes" - disse o Pontífice. "Recebi com profunda tristeza a notícia dos atentados que novamente este ano, no dia do Nascimento de Jesus, levaram luto e dor a algumas igrejas da Nigéria. Gostaria de manifestar minha sincera e carinhosa presença junto à comunidade cristã e a todos os que foram atingidos por este absurdo gesto; e convido a rezarem ao Senhor pelas inúmeras vítimas" - prosseguiu. Concluindo sua exortação, Bento XVI apelou para que com a colaboração de diversos componentes sociais, a segurança e a tranquilidade sejam recuperadas: "Neste momento, quero repetir mais uma vez, com firmeza: a violência é um caminho que conduz exclusivamente à dor. O respeito, a reconciliação e amor são os caminhos para se chegar à paz".

FONTE: Agência Fides - 28/12/2011

Links:
O texto integral da Mensagem natalina do Papa, em várias línguas, está em:

Nenhum comentário: