quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Prioridade na Evangelização



Várias são as circunstâncias que tem demonstrado a unidade na diversidade da juventude brasileira, a começar pela criação da Comissão Episcopal para a Juventude, da CNBB. A Igreja do Brasil deixa claro nesta criação uma de suas prioridades na evangelização: os jovens. A expressiva participação na Jornada Mundial da Juventude-JMJ de Madri mostra uma adesão explícita de apoios e cooperações pela causa da juventude. Sabemos que isso não é só alegria. Estamos cientes dos desafios e urgências na evangelização juvenil. Este processo de unificação, com certeza, foi providencial para o momento em que começamos a preparação da JMJ Rio 2013 e a realização de trabalhos de evangelização entre os jovens antes, durante e depois do evento.

Já começou
A preparação já começou. No dia 18 de setembro, o Brasil recebeu a cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora. O que significam estes símbolos para a juventude e para a nossa Igreja? Primeiramente a cruz é um dos maiores símbolos do cristianismo. E a figura de Maria nos remonta a entrega que Cristo fez na cruz: "Este é o teu Filho e esta é a tua Mãe". Foi com esse sentido que o Bem-aventurado João Paulo II entregou estes dois símbolos à juventude do mundo para que com eles pu¬dessem levar e testemunhar a fé cristã: "Carreguem-na (a cruz) pelo mundo como símbolo do amor de Cristo pela humanidade e anunciem a todos que somente na morte e ressurreição Dele podemos encontrar a salvação e a redenção" (Roma, 22 de abril de 2004). "Contemplem a sua Mãe! Ele (ícone de Nossa Senhora) será um sinal da presença materna de Maria próxima aos jovens que são chamados, como o apóstolo João, a acolhê-la em suas vidas" (Roma, 18a Jornada Mundial da Juventude, 2003).

Depois de ter passado por diversos países como sinal de salvação e redenção e presença filial da Mãe entre os jovens, agora é a nossa vez. O Brasil se prepara para a Jornada Mundial e os símbolos irão percorrer todas as suas dioceses e os países do Cone Sul. É Jesus e sua mãe visitando os mais diversos rostos juvenis presentes em nossa sociedade pluricultural.

Esta peregrinação tem um caráter missionário muito expressivo, pois os símbolos passarão em lugares e situações, e com certeza durante o percurso e ao seu findar teremos diversos testemunhos e colheremos vários frutos como já pudemos testemunhar quando a cruz e o ícone foram levados a Cracolândia e ao Lixão em São Paulo.

Exemplos como este se multiplicarão até o ano de 2013. É importante que os jovens missionários não se deixem levar somente pelo evento em si, mas que procurem internalizar em seu coração a espiritualidade da cruz e a espiritualidade mariana, caminhos que com certeza os conduzirá a uma espiritualidade missionária e os impulsionará a viver e testemunhar aquilo que estamos celebrando.

Desta forma a peregrinação dos símbolos não será mais um evento, mas oportunizará um encontro capaz de nos levar ao discipulado nos tornando verdadeiros missionários, e com amor sentiremos a necessidade de anunciar a Boa Nova.

Portanto, que nossa juventude missionária, espalhada pelo imenso Brasil possa acompanhar em suas dioceses este momento de evangelização, formação e missão e fazer com que esta seja também uma oportunidade de unidade entre os jovens de todo o país.

Pe. Marcelo Gualberto Monteiro
Secretário Nacional da Pontifícia Obra Propagação da Fé
Publicado na Revista Missões - Novembro 2011

Nenhum comentário: