quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

ÁFRICA/NIGÉRIA - "O terrorismo ameaça todos, muçulmanos e cristãos, mas juntos podemos vencê-los" - diz à Fides o Arcebispo de Abuja


"Espero que estas pessoas não tenham morrido em vão; os nigerianos estão entendendo que o terrorismo ameaça nós todos, cristãos e muçulmanos" - diz à Agência Fides Dom John Olorunfemi Onaiyekan, Arcebispo de Abuja, capital federal da Nigéria, onde pelo menos 35 pessoas morreram no Natal em um atentado contra a Igreja de Santa Teresa, no bairro periférico de Madalla. Sempre no Natal, outras bombas explodiram em algumas igrejas em outras áreas da Nigéria, como na Igreja Pentecostal em Jos, capital do estado de Plateau. Os atentados foram atribuídos à seita islâmica Boko Haram.

"No dia de Santo Estevão, quando fui ao local do atentado com o Núncio, colhi a ocasião, diante do Ministro do Interior, para lançar um forte apelo por meio da imprensa local à liderança islâmica da Nigéria, para que faça alguma coisa" - conta à Fides Dom Onaiyekan. "Mesmo que os líderes islâmicos continuem afirmando que os membros da Boko Haram não pertencem ao verdadeiro Islã, devem admitir que são muçulmanos, bons ou maus, não importa, e que eles têm mais possibilidades de identificá-los e precisam demonstrar que o estão fazendo".

"Esta minha declaração - prossegue Dom Onaiyekan - teve ampla repercussão e suscitou muitos comentários na imprensa nigeriana. Várias organizações importantes e grupos islâmicos estão agora condenando os atentados. Acabei de receber o telefonema de um grupo de muçulmanos que visitaram os feridos no hospital e me pediram para visitar a Igreja de Santa Teresa.

"Não é o momento de reiterar se somos cristãos ou muçulmanos; devemos enfrentar o problema como nigerianos que vivem sob a ameaça destas pessoas. Dentre os mortos havia muçulmanos também. A bomba explodiu na rua, diante da Igreja, e atingiu não apenas os fiéis que saiam da Missa mas também pessoas que estavam passando. Eu, pessoalmente, rezei e abençoei um homem que foi gravemente ferido enquanto estava no carro e a bomba explodiu. Era um muçulmano" - diz o Arcebispo de Abuja.

Dom Onaiyekan revela que a Igreja local havia organizado um serviço de vigilância para proteger os locais de culto. "Estes jovens corajosos criaram uma posição de controle nas duas entradas da rua que conduz à Igreja de Santa Teresa, controlando todos os carros que passavam. O automóvel do autor do atentado não parou. Os jovens o seguiram até a frente da Igreja e conseguiram detê-lo. Enquanto discutiam com o motorista, este explodiu a bomba. Foi um atentado suicida. Dentre as vítimas, há um de nossos jovens da vigilância e pelo menos três seguranças, um dos quais, muçulmano" - recorda Dom Onaiyekan. 

"É um terrorismo que não poupa ninguém" - acrescenta o Arcebispo. "Quando estas pessoas afirmam querer um Estado islâmico, não falam de um Estado que ofereça mais liberdade aos muçulmanos. Sabemos o que querem dizer com Estado islâmico: temos o exemplo da Somália dos Shabab. Creio que finalmente conseguimos que a grande maioria de nossos compatriotas muçulmanos entendesse que o terrorismo dos Boko Haram não é contrário apenas aos cristãos. Somente juntos, cristãos e muçulmanos, podemos ir longe" - conclui Dom Onaiyekan.

FONTE: Agência Fides - 28/12/2011

Nenhum comentário: