terça-feira, 14 de junho de 2011

Sair de nossa comodidade, condição para o caminho.


Queridos internautas, a Juventude Missionária vem a cada dia se tornando um grande meio de animação missionária em várias comunidades deste nosso imenso Brasil. Sabemos que quanto mais se expandir, maior é a nossa responsabilidade tanto com aqueles que estão à frente na evangelização como aqueles que receberão a Boa Nova por meio dos Jovens Missionários.

Este espaço torna para nós uma oportunidade de refletirmos sobre alguns temas formativos para vida espiritual da juventude como animação para a vida missionária nas comunidades. Assim somos convidados neste mês a viver com entusiasmo este tempo quaresmal que a Igreja nos proporciona para uma maior reflexão de nossas ações pessoais e comunitárias e assim nos convoca a bem preparar - nos para um encontro com o Cristo Ressuscitado celebrando a grande festa, a Páscoa do Senhor.

Na literatura bíblica com a vocação de Abraão, começa alguma coisa totalmente nova. Deus intervém para formar para si um povo, através do qual a salvação atingirá toda a humanidade.

Há cerca de 4.000 anos atrás viveu Abraão na Mesopotâmia, uma terra fértil, porque é irrigada por dois grandes rios. Naquele tempo era a região mais rica e mais progressista do mundo. Por volta do ano 1850 a.C., acontecem naquela região perturbações políticas obrigando muitos a migrar. A família de Abraão pertence a um desses grupos que são obrigados a abandonar a própria pátria. Deus fala através dos acontecimentos históricos, Abraão sabe interpretar, nos acontecimentos que o envolveu, a vontade de Deus, confia, deixa-se conduzir por Ele.

Sem dúvida custa-lhe muito abandonar tudo, sua terra, sua pátria, a família de seu pai, e dirigir-se para uma terra desconhecida. Mas ele acredita que o Senhor sempre mantém a palavra.

Deus não revela para Abraão, desde o início, para onde o quer conduzir, e tão pouco lhe indica todas as difíceis etapas que deverá percorrer, se não ele desanimaria. Deus o chama e depois vai manifestando pouco a pouco os passos que deverá dar.

O que aconteceu a Abrão é imagem de tudo o que acontece na vida de todos nós batizados, discípulos e missionários de Jesus. No espírito de conversão a que a Quaresma nos aponta, fica soando em nossos ouvidos o “Sai da tua terra”.

Largar o que consideramos conquistado é a condição para caminhar no caminho que Deus aponta. Ao ouvirmos a voz de Deus que nos convida a deixar o modelo de vida que estávamos levando, a “vida antiga”, o “jovem velho”. Deus invade a nossa vida, rompe todo o falso equilíbrio, promete a nós uma vida diferente, autêntica. Desde o momento em que respondemos sim a este chamado, começa para nós um longo caminho. O que Abraão nos ensina é a não nos encolhermos dentro de nós mesmos, a termos a coragem de abandonar determinadas atitudes, determinadas maneiras de pensar e de viver, hábitos e costumes, que não condizem com o Evangelho. O afastamento sempre é duro, mas também é muito que Deus promete.

Assim, a quaresma ao convidar para esta mudança e confiança, para Deus e em Deus, nos chama também a um sair de nossas comodidades e ir “missionar” sem ter medo, o jovem missionário que vive este tempo de conversão com autenticidade, se questiona com as seguintes perguntas:

- Como tenho vivido este tempo favorável em minha vida pessoal?
- Tenho feito do meu encontro com Deus uma oportunidade de servir o meu próximo?
- Sei interpretar como Abraão os momentos históricos? Como jovem missionário o que posso contribuir para que minha mudança de vida se torne mudança de vida para outros jovens?

Pe. Marcelo Gualberto Monteiro
Secretário Nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé
Publicado na Revista Missões – Edição de Abril 2011

2 comentários:

Suelma B. de Oliveira disse...

É difícil, mas é gratificante...

Jovens Missionários disse...

Não existe nada melhor nesse do seguir ao meu Deus, e ver as maravilhas que Cristo fez na sua passagem na terra... estou amando ser missionário.