segunda-feira, 16 de maio de 2011

Papa recebe diretores das POM

O papa Bento XVI recebeu em audiência na manhã deste sábado, 14, na Sala Clementina, no Vaticano, os participantes da Assembleia Geral das Pontifícias Obras Missionárias (POM), ao todo, cerca de 110 pessoas, entre eles o diretor das POM do Brasil, padre Camilo Pauletti.

O pontífice destacou, durante seu pronunciamento, a necessidade de um decidido compromisso na missão além-fronteiras e ressaltou que "novos problemas e novas escravidões emergem em nosso tempo, quer no chamado primeiro mundo, abundante e rico, mas incerto acerca de seu futuro; quer nos países emergentes, onde, por causa de uma globalização caracterizada comumente pelo lucro, acabam por aumentar as massas dos pobres, dos emigrantes, dos oprimidos, em que se enfraquece a luz da esperança.

É tarefa de todo o Povo de Deus, segundo o papa, "transformar o mundo segundo o projeto de Deus com a força renovadora do Evangelho, para que Deus seja tudo em todos (1 Cor 15,28

Ele acrescentou ainda que "é necessário continuar com renovado entusiasmo a obra de evangelização, o anúncio alegre do Reino de Deus, vindo em Cristo na potência do Espírito Santo, para conduzir os homens à verdadeira liberdade dos filhos de Deus contra toda forma de escravidão".

A missão ad gentes, continuou o papa, deve envolver a todos. Ele sublinhou que o serviço da Igreja em sua totalidade está voltado para a evangelização. "É necessário lançar as redes do Evangelho no mar da história para levar os homens à terra de Deus. Tudo na Igreja está a serviço da evangelização: todo setor de sua atividade e também toda pessoa, nas várias tarefas que é chamada a cumprir. Todos devem estar envolvidos na missão ad gentes”.

De acordo com Bento XVI, “somente radicados profundamente em Cristo e em sua Palavra se é capaz de não ceder à tentação de reduzir a evangelização a um projeto apenas humano, social, escondendo ou silenciando a dimensão transcendente da salvação oferecida por Deus em Cristo”.

O ministério da evangelização é fascinante e exigente: requer amor pelo anúncio e o testemunho, um amor tão grande que pode ser marcado inclusive pelo martírio” – observou. “Os cristãos não devem ter medo, mesmo se são atualmente o grupo religioso que sofre o maior número de perseguições por causa de sua fé”, exortou Bento XVI.

O papa agradeceu a todos os presentes pelo trabalho de animação e formação missionária que, como diretores nacionais das POM, desempenham em suas Igrejas locais. O Pontífice concluiu afirmando que a obra das POM é preciosa para a edificação da Igreja, destinada a tornar-se “casa comum” de toda a humanidade.


Saudação e Agradecimentos

Bento XVI aproveitou ainda a ocasião para saudar o novo prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, dom Fernando Filoni, pelas palavras que lhe haviam sido pouco antes dirigidas, em nome de todos os presentes. Ao mesmo tempo, o Pontífice expressou gratidão ao cardeal Ivan Dias "pelo generoso e exemplar serviço prestado ao Dicastério missionário e à Igreja universal nestes anos", na condução do mesmo.

O papa agradeceu, ainda, ao secretário do referido organismo vaticano, dom Savio Hon Tai-Fai; ao presidente das Pontifícias Obras Missionárias (POM), dom Piergiuseppe Vacchelli; bem como aos colaboradores da Congregação e aos diretores nacionais das POM, vindos das várias Igrejas particulares para a anual Assembleia Ordinária do Conselho Superior.

FONTE: POM - www.pom.org.br
)”.

Nenhum comentário: