segunda-feira, 4 de abril de 2011

Missão no Complexo do Alemão/RJ


Olá Amigos, como prometi volto para contar como foi a segunda parte da MISSÃO no COMPLEXO DO ALEXÃO, e olha se eu posso falar: foi muito diferente da primeira, a começar que o grupo foi dividido por três, pois no território no complexo temos quatro Paróquias e muitas Capelas, por ai vocês que não conhecem imagina o tamanho desse território, não é fácil...

Eu fiquei na paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe, o que para mim já foi uma supressa incrivel, pois a seis anos atrás eu precisava de uma imagem dela para coroa, e fui buscar lá, pois só consegui emprestada lá, então vocês podem imaginar como fiquei. Na paróquia descobri que o padre já não era o mesmo, o que está, Pe. Barnabé, um show a parte na MISSÃO de anunciar.

Na parte da manhã do sábado tivemos uma preparação territorial, pois é no complexo, mas em outra parte totalmente diferente da primeira, nesse momento começa o show do Pe. Barnabé que junto com os Padres Licinho e Ademir, conduziaram a preparação; nessa hora ele falava que está lá há cinco anos, que uma freira deu a ele antes de ele ir para o complexo uma medalha, e essa medalha virou companhia inseparável, resolveu que lá iria andar sempre de batina, mas um dia esqueceu a medalha, viram de longe só a parte de cima e confundira com um policial, resultado, deram um tiro em cima dele, graças a DEUS não pegou, mas pegou numa paroquiana, que sobreviveu. Ele disse nunca mais se separou da medalha, ai mandaram um recado para ele para não andar mais de batina preta, só andar de branca, pois não se responsabilizariam... Depois de tudo ele falou nunca tentaram nada contra a igreja ou contra ele, o riso foi geral!

Só nesta paróquia tem nove Capelas, eram dez, uma ele perdeu, pois estava no caminho do teleférico. Depois do almoço, nova supressa o padre aparece de batina branca, é claro, chapéu de palha, cruz prossecional numa mão e na outra um megafone, olha subiu o morro todo cantando e nós pobres mortais tentamos, mas não conseguimos acompanhar o canto, ai começa novamente as supressas, nesse lugar ficava o QG ("Quartel General") do tráfico, vimos muitas casas de luxo, mas também uma miséria, uma falta de DEUS.

Na primeira casa que visitei me deu vontade de parar, descer e ir embora, pois uma senhora não muito idosa, sentada em cima de um monte de lixo, nos atendeu, esgoto passando embaixo do pé dela, ratos por toda parte, sofrida pedia para rezarmos pelo filho dela que mora em outra parte do complexo, para eles uma distância intransponível... Ai vem uma jovem senhora, já acostumada com a situação, tudo normal, mais a frente outra que chorava a prisão do filho (no inicio ele não tinha culpa, depois ela já começa a ver que sim ele tem culpa). Seguimos em frente graças ao amor a palavra “tudo que fizeres a um desses pequeninos, é a mim que o fazes” e como diria Pedro em Teu nome vamos jogar nossas redes.

Terminamos o sábado com a Santa Missa lá em cima, numa Capela, muito bem cuidada por sinal.

No domingo sairmos logo pela manhã, Pe. Barnabé, sempre nos orientou para não subimos, pois teríamos que voltar na hora do almoço e poderia ser muito cansativo, ai nos mandou ir para a parte baixa onde passa as linhas de ônibus para os subúrbios do Rio de Janeiro. Ali havia uma grande fabrica de cerveja que foi desativada e ali dentro construirão barracos, vezes de madeira, de alvenaria e outros de papelão mesmo... Visitamos muitos moradores, tivemos a grata alegria de ver irmão protestantes elogiando o trabalho, falando que estariam orando por nós, um pastou chegou a falar que numa hora dessa devemos unir forças, achei muito bom mesmo pois alguns falavam que a Igreja Católica nunca fez isso.

DEUS dê a eles toda a PAZ do mundo, que possam realmente de o direito de ir e vir sem precisar está com medo, os anjos do SENHOR possa ser um porto seguro parta eles.

Só como registro lá no COMPLEXO como disse tem quatro Paróquias:
- São Sebastião de Olaria – Pe. Ademir
- São Thiago de Inhauma - Pe. Marquinhos
- Bom Jesus da Penha – Mons. Luis Antônio
- Nsª Srª de Guadalupe do Jardim Guadalarrará Pe. Barnabé

Moisés Zamba
Coordenador da IAM no RJ

Nenhum comentário: