quarta-feira, 23 de março de 2011

A Campanha da Fraternidade (CF/CNBB) desde ano aprofunda sobre meio ambiente, a gravidade do aquecimento global e das mudanças climáticas – causas e consequências. Tem como tema Fraternidade e a Vida no Planeta e lema A Criação Geme em Dores de Parto (Rm 8,22). A Campanha Missionária (CM/POM), que culmina em outubro (Mês das Missões), procura, no Brasil, estar em sintonia com a CF. Neste ano terá como tema Missão na Ecologia e lema A Misericórdia de Deus É para Todo Ser Vivo (Eclo 18,12b).

Somos todos moradores de uma mesma casa. Gostando disso ou não, estamos interligados. Não há como simplesmente virar as costas e não se importar. Afinal, se ocorresse uma catástrofe em âmbito global, para onde iríamos? Aquecimento global e mudanças geológicas nada mais são que reações às nossas ações.

A Campanha da Fraternidade vem nos alertar para a realidade de que tudo o que fazemos prejudica ou ajuda a salvar nosso planeta, e oferece-nos a oportunidade de, como uma família, sentarmo-nos juntos e elaborarmos ações para salvar a nossa casa comum. E, para nos empenhar com gestos concretos, que com certeza surgirão em nossas paróquias e sociedade, mediante conversão individual e coletiva nesta Quaresma, a CF estimula ao amor fraterno, entre irmãos e irmãs comprometidos com o meio ambiente, a louvarmos o Senhor, como São Francisco de Assis fez, por todas as criaturas que fazem parte da vida planetária.

"Sabemos que a Criação inteira geme e sofre as dores de parto até o presente" (Rm 8,22)
O contexto dessa afirmação de São Paulo é a descrição da condição humana, marcada pelo pecado e, no entanto, salva pela graça de Cristo, que introduz na experiência humana a força restauradora do Espírito Santo. A CF deste ano traz para nossa reflexão a preocupante situação de nosso planeta, nossa casa, que sofre os efeitos de uma exploração predatória de seus recursos naturais. A afirmação de Paulo ganha força nova diante do quadro que vivemos. São Paulo afirma que "a criação foi submetida à vaidade – não por seu querer, mas por vontade daquele que a submeteu – na esperança de ela também ser liberta da escravidão da corrupção, para entrar na liberdade da glória dos filhos de Deus (Rm 8,21-22). O gemido da Criação aparece hoje na deterioração do meio ambiente, consequência de uma exploração descuidada e, muitas vezes, gananciosa dos recursos do planeta, conforme haveremos de aprofundar nesta CF.

A Quaresma é tempo de enfrentar com Jesus as grandes tentações que estão na raiz de todos os males nascidos das decisões humanas. O Evangelho exige conversão da consciência individual e coletiva da humanidade, como nos lembrava o Papa Paulo VI na Exortação Apostólica Evangelii Nuntiandi. Sem esta conversão que penetre a cultura e se traduza em medidas globais de organização mais justa da atividade humana em sua relação com a natureza, não será possível reverter o quadro dramático de destruição das condições de vida saudável em nosso planeta que se desenha no horizonte de nossa história. Quaresma é tempo de conversão, conversão profunda que mude os costumes e gere políticas globais de defesa da vida em todas suas dimensões. Quaresma é tempo de oração e de tomada de posição diante de uma cultura em que o consumismo desenfreado sustenta a ganância de um lucro que, em longo prazo, poderá causar irreparável prejuízo para toda a humanidade. Nesta perspectiva, somos todos chamados a fazer alguma coisa. Afinal, conversão convida-nos à Missão. Quem nunca pensou em partilhar algo bom com o outro?

Servindo como um corte transversal, a Campanha Missionária, todo mês de outubro, vem reforçar o clamor feito pela CF na Quaresma de cada ano. Neste ano, em sintonia com a CF, a Campanha Missionária quer levar as pessoas e as comunidades a se comprometerem com a Missão na Ecologia, por meio de gestos concretos e mudanças de comportamento diante da crise ecológica atual.

Coordenada pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM), a Campanha Missionária faz um apelo a mais nas questões urgentes não só da Igreja, mas da sociedade e da comunidade em geral. São elaborados diversos materiais para auxiliar na animação missionária das paróquias e comunidades, em preparação do Dia Mundial das Missões. Celebrado no penúltimo domingo daquele mês (23/10 neste ano), este Dia Mundial pela causa missionária universal, instituído em 1926 pelo Papa Pio XI, incita à cooperação espiritual e material para aqueles que, espalhados pelos mais diversos rincões do mundo, necessitam mais que nós.

A oração em que São Francisco de Assis louva a Deus pelas criaturas nos inspire novas atitudes e nos ajude a ser transformados pelo Espírito de Deus, de modo a resgatarmos atitudes de quem cultiva e cuida do seu jardim, esta obra maravilhosa, que hoje requer socorro dos autênticos filhos de Deus, de todos aqueles que empreendem ações sinceras e despojadas em favor do planeta, tanto agora, para diminuir o que já causamos, como na preservação, para os outros que ainda hão de habitar esta casa.

Pe. Marcelo Gualberto Monteiro, Secretário Nacional da Obra Propagação da Fé
Nota: Texto baseado em artigo sobre a CF de D. Eduardo Benes de Sales Rodrigues, Arcebispo de Sorocaba, SP.
FONTE: Informativo SIM - POM


Nenhum comentário: