segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Organismos e Instituições debatem sobre vocação missionária como opção de vida


Termina nesta segunda-feira, 15, o 8º Encontro Nacional de Organismos e Instituições Missionárias (ENOIM), promovido pelo Conselho Missionário Nacional (COMINA), que acontece desde sábado, 13, no Centro Educativo de Assistência Social La Salle, Vila Guilhermina, em São Paulo.

Segundo o bispo de Tefé (AM) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB, dom Sérgio Castriani, a Igreja na América Latina e Caribe tem vivido momentos significativos com a realização de congressos específicos sobre a Missão. Ele disse que o ENOIM fortalece os projetos missionários.

A Missão tem rosto, a missão tem pessoas com testemunho e entusiasmo. Por isso esse Encontro é importante pelo fato de juntar representantes das forças vivas da missão para partilhar e refletir sobre nossa ação”, disse dom Sérgio.

O bispo recordou, além da Missão Continental, as várias iniciativas sobre a missão como os Congressos Missionários Nacional em Aparecida e Americano em Quito, no Equador, em 2008; o I Congresso Missionário para Seminaristas, os Congressos Regionais, os Projetos Missionários no Timor Leste e o novo Projeto no Haiti.

“Estas iniciativas nos permitem dizer que, a pesar dos nossos limites, a Missão está mais viva que nunca”, acentuou dom Sérgio.

O secretário executivo do COMINA, padre José Altevir da Silva, apresentou o tema do encontro, “Vocação Missionária uma opção de vida”, e sublinhou o chamado, a resposta e a fidelidade ao compromisso.

Já a assessora do Centro de Estudos Bíblicos (CEBI), Irmã Tea Frigerio, aprofundou os fundamentos bíblicos da Missão e da Consagração a partir do evangelho de Mateus. “A Missão não pode ser vivida individualmente, mas em comunidade. O chamado é individual, mas a missão se dá em comunidade”, afirmou Irmã Tea. “Quem é convocado e responde se trona itinerante, deixa tudo para adquirir o mais importante: o tesouro do Reino”, acrescentou.

Após a conferência os participantes trabalharam em cinco oficinas temáticas sobre Vocação Missionária e Juventude; Institutos Missionários e Vida Consagrada; Leigos; Presbíteros e Seminaristas e Conselhos Missionários (COMINA, COMIRE, COMIDI, COMIPA).

Precisamos repensar a Missão a partir das nossas relações de comunhão e diálogo com os outros. Falamos da vocação como opção de vida. Sem jovens não é possível fazer a Missão”, disse o diretor do Centro Cultural Missionário (CCM), padre Estêvão Raschietti, ao analisar os trabalhos das oficinas.

O bispo auxiliar de Campo Grande (MS) e responsável pelo Setor Juventude da CNBB, dom Eduardo Pinheiro; o assessor da Comissão Episcopal dos Ministérios Ordenados, padre Reginaldo Lima, e a assessora da Comissão Episcopal para a Amazônia, Ir. Irene Lopes, foram os assessores do encontro ontem, 14. Houve, ainda, testemunhos de vivência missionário durante toda a tarde.

Cerca de 100 pessoas participam do Encontro.

Jaime C. Patias
Fonte: CNBB / Revista Missões












Nenhum comentário: