sábado, 23 de outubro de 2010

Mês missionário e coleta missionária


Evangelizar os povos do mundo inteiro é a obra permanente contida no envio missionário que o Cristo Jesus Ressuscitado fez aos Doze Apóstolos que escolhera e formara, capacitando-os para saber sair de si e servir aos outros em seu nome, proclamando que o Reino de Deus chegou. E na pessoa dos Doze Jesus deixa claro que a escolha e o envio abarcam a "quantos vão crer em mim por causa da palavra deles" (Jo 17,20). A atitude que as pessoas tomarem em relação aos seus enviados, Cristo deixa explícito que é feita a si mesmo: "Quem escuta vocês, escuta a mim; e quem rejeita vocês a mim rejeita; mas quem me rejeita, rejeita Aquele que me enviou" (Lc 10, 16). No mandato universal, Cristo garante: "E eu estarei com vocês todos os dias até o fim do mundo" (Mt 28,20). Marcos constata no final de seu evangelho: "O Senhor os ajudava e, por meio dos sinais que os acompanhavam, provava que o ensinamento deles era verdadeiro" (Mc 16, 20). João acentua a palavra do Ressuscitado: "Assim como Pai me enviou, eu também envio vocês" e para isso "Recebam o Espírito Santo" (Jo 20, 21-22).

Assim compreendemos que quem passa crer em Cristo e a Ele adere torna-se membro vivo de sua Igreja ao longo dos séculos e milênios. Engaja-se neste ou naquele campo da ação da Igreja consciente de estar perpetuando a missão do próprio Cristo. E, assim, descobre a "Alegria de ser Discípulo Missionário"!

Recursos humanos e materiais
No entanto, o cumprimento da missão implica em pessoas que se abrem à missão e em dinheiro para iniciá-la, sustentá-la e propagá-la "até os confins do mundo" (Atos 1,8). Na história da missão está bem claro que a Igreja missionária, ao enviá-los, subsidia os missionários dos recursos necessários. De fato, afirma muito bem o padre Elmo Heck, assessor das Pontifícias Obras Missionárias, as "necessidades da Igreja Católica em todo o mundo não param de crescer: constituição de novas dioceses; abertura de novos seminários, devido ao crescimento do número de jovens que acolhem o chamado de Cristo a segui-lo como sacerdotes (além das jovens e outros leigos e leigas); regiões destruídas por guerras ou fenômenos naturais e que devem ser reconstruídas; lugares por longo tempo fechados à evangelização, e que agora se abrem para ouvir a mensagem de Cristo e de Sua Igreja... É por isto que a cooperação dos católicos de todo o mundo é tão urgente e necessária".

Sobretudo com a Coleta Missionária no Dia Mundial das Missões se forma e se alimenta o Fundo Mundial de Solidariedade Missionária, em Roma administrado pela Sagrada Congregação para a Evangelização dos Povos. Com estes recursos são financiados projetos fundamentais para a Igreja em todo o mundo.


No Brasil
A Coordenação Nacional do Mês Missionário, a cargo das Pontifícias Obras Missionárias, prepara vários subsídios populares. Há um para as missas dominicais que contém, em números, alguns frutos da coleta Missionária mundial, com dados totais do ano de 2004, em favor das regiões mais pobres de cada continente. Hospitais: 5.246; Centros de Saúde: 17.224; Leprosários: 648; Asilos e Casas para Deficientes 14.927; Orfanatos: 10.163 e Jardins de Infância: 10.932. Isso sem contar o que se aplica na formação, envio e manutenção de missionários e missionárias nesse vasto mundo de Deus!

Imagine que valor inestimável tem o seu gesto, a sua doação! No Brasil, embora nesses últimos anos (2000 a 2009) a coleta missionária tenha aumentado (em 2000 foi de R$ 2.053.o55,77 e, em 2009, atingiu o total de R$ 5.703.099,26), a doação média por pessoa católica (cerca 120.000.000 que se declaram) está longe de ser R$1,00 (um real). E que salto qualitativo ela terá quando a média da doação para a evangelização universal de cada fiel de nossa Igreja em nossa pátria chegar a ser R$ 1,00. Estaríamos arrecadando o total de R$ 1.200.000.000,00 (Um bilhão e duzentos milhões de reais).

Com urgência e ardor missionário, formemos consciência, criemos mentalidade de que o mundo todo necessita de conhecer, amar e invocar a Cristo Jesus. Igualmente apresentemos o valor da oração, da renúncia a tantas coisas supérfluas e indispensáveis, do jejum, e dos sacrifícios. É daí que cada fiel planeja e organiza a própria oferta para o Dia Mundial das Missões!

O Brasil e a América Latinas têm recebido ajudas missionárias incalculáveis. Em 1979, o Documento de Puebla, já afirmava em forma de alegre e esperançoso desafio: É chegada a hora de a Igreja na Igreja na América Latina "dar de sua pobreza" (Puebla 368). E concluo com S. Paulo Apóstolo: "DEUS AMA A QUEM DÁ COM ALEGRIA!" " ( 2Cor 9,7).

Ubajara Paz de Figueiredo, pelo COMIRE OESTE 1 da CNBB.
Fonte: Comire Oeste 1

Nenhum comentário: