terça-feira, 25 de maio de 2010

Voto de Pesar do Senado Federal, pelo falecimento do Pe. Edson Assunção.


REQUERIMENTO Nº 480, DE 2010 
Requeiro, nos termos regimentais, que o Senado Federal emita Voto de pesar ao Diretor Nacional das Pontifícias Obras Missionárias no Brasil (POM), Padre Daniel Lagni; ao Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Lyrio Rocha e à família do Padre Edson Assunção Santos Ribeiro, Secretário Nacional da Pontifícia Obra da Infância Missionária no Brasil, falecido em decorrência de acidente automobilístico ocorrido na noite do dia 3 e maio de 2010, em Barra do Graças, Mato Grosso.

Mineiro de Contagem, filho de Manoel Linhares Ribeiro e Ilda dos Santos Ribeiro (in memoriam), Padre Edson nasceu em 15 de agosto de 1966 tendo, desde a primeira infância, manifestado a intenção de ser sacerdote.

Em 12 de dezembro de 1992 foi ordenado padre para a arquidiocese de Niterói, no Rio de Janeiro e, atendendo insistente solicitação da CNBB, foi transferido para Brasília em dezembro de 2006, passando a exercer a função de Secretário Nacional da Pontifícia Obra da Infância Missionária, uma das quatro obras da Igreja Católica responsável pelo trabalho missionário de evangelização.

No exercício dessa função, costumava viajar por todo o Brasil ministrando cursos de formação para Assessores da Infância e Adolescência Missionária. Na noite da última segunda-feira, dia 3 d maio, estava na cidade de Araguaiana, no Mato Grosso, ministrando um desses cursos e, voltando em direção à Diocese de Barra do Graças, sofreu o acidente, vindo a falecer.

O trabalho de evangelização desenvolvido pelo Padre Edson era o de formar missionários que, por sua vez, replicam esta formação para crianças e adolescentes missionários, na perspectiva de crianças e adolescentes que ajudam e evangelizam crianças e adolescentes do mundo inteiro’. Assim, como fruto do seu trabalho, Padre Edson fomentava o trabalho missionário da infância e juventude, concretizado por meio de ajuda material e espiritual aos mais necessitados.

Sua morte precoce, aos 43 anos, configura uma perda inestimável para a Igreja Católica, sendo que, neste momento, estão de luto todas as arquidioceses e dioceses do Brasil, sobretudo aquelas em que estão implantados grupos de Infância e Adolescência Missionária.

É justo, portanto, que o Senado Federal preste a presente homenagem póstuma a esse grande missionário brasileiro.

Sala das Sessões, em 5 de maio de 2010.
Senador FLÁVIO ARNS”.

Nenhum comentário: