quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Chatterton... Suicidou!

Estarrecida pelos efeitos apocalípticos do terremoto no Haiti, fui em busca de informações para descobrir como era a vida na ilha, até ontem.

Eu aprendi que oitenta por cento dos haitianos vivem (viviam) com menos de um dólar por dia; que noventa por cento moram (morava) em barracos sem água potável nem eletricidade; Que a expectativa de vida é (era) de 50 anos; que uma criança em cada três não alcança (alcançava) os 5 anos de vida e que, dos outros dois, um tem a certeza quase absoluta de ser vendido como escravo. Se esta é (era) a vida deles, eu me pergunto se a morte seria mesmo tão pior.

Sobretudo me pergunto por que a sua morte me impressiona tanto, enquanto a sua vida nunca me importou grande coisa.

Eu sei que não podemos dilacerar-nos por toda a dor do mundo e que até os santos são forçados a selecionar os seus impulsos de compaixão. Contudo, não posso deixar de refletir sobre a incongruência de uma situação que, graças também à força das imagens, me faz chorar por uma criança enterrada sob os escombros, sem pensar que se trata da mesma criança faminta que passou as últimas semanas morrendo à prazos sobre a mesma calçada.

Aí vem a suspeita de que o que rasga meu coração não seja o sofrimento dos haitianos, que existia também antes, mas o receio de que uma catástrofe como aquela, algum dia possa golpear também aqui.

Não nos moveria pois a solidariedade pelas alucinantes condições do seu viver, mas o medo de que algum dia poderia tocar também a mim o seu morrer.

Ainda estamos preocupados com um mundo muito individual. Até quando hein? Num já tá bom de parar? Tivemos tantas lições e ainda estamos com o mesmo erro.

Deixo uma canção cautelosa e ótima para silenciar, refletir, avaliar...

Chatterton

Sangue, Sangue, Sangue. . .

Chatterton, suicidou; Kurt Cobain, suicidou; Getúlio Vargas, suicidou; Nietzsche, enloqueceu; E eu não vou nada bem. Não vou nada bem (3x)

Chatterton, suicidou; Cléopatra, suicidou; Isócrates, suicidou; Goya, enloqueceu; E eu não vou nada nada bem Não vou nada bem (4x) Não vou haha, nada bem Hahahaa Hohohahaa hahaaa Nada beeem Não vou nada bem

Chatterton, suicidou; Marc-Antoine, suicidou; Cleópatra [foda-se], suicidou; Schumann, enlouqueceu; E eu, puta que pariu!!, não vou nada nada bem não vou nada bem não vou nada cof! cof! cof! não vou nada bem caham suicidou! Todo mundo que vocês tiverem pensando aí: suicidou! [tiro no pé] Deram tiro no pé! não vou nada bem Puta que pariu!!! Yeaaaaaaeeeeh!

Jovens Missionários, Sempre Solidários!

Sara Guerra - Coordenadora da JM do Ceará.

Nenhum comentário: