quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Eucaristia, Pão da Unidade dos Discípulos-Missionários

Em 2010, Brasília estará em festa. Não só pelos 50 anos de inauguração da cidade, como também pelo Jubileu da Arquidiocese e pela realização de mais um grande evento eucarístico na capital federal: o 16° Congresso Eucarístico Nacional (CEN), que será realizado de 13 a 16 de maio, e terá como tema Eucaristia, Pão da Unidade dos Discípulos-Missionários, e, por lema, Ficai Conosco, Senhor! (cf. Lc 24,29).

A Pontifícia Obra da Propagação da Fé, por meio de seus membros, é chamada a colaborar com este evento eucarístico, principalmente, com a oração e o sacrifício. A humanidade tem necessidade de Cristo, “pão partido e repartido”. Seguindo o seu exemplo, também nós, seus discípulos-missionários, devemos partilhar as nossas vidas e os nossos dons, especialmente com os mais necessitados e excluídos do banquete da vida. Em uma sociedade dominada pelo desejo de acúmulo de riquezas e marcada fortemente pelo egoísmo, o Papa João Paulo II, de feliz memória, faz-nos lembrar que a Eucaristia não é expressão de comunhão apenas na vida da Igreja; é também projeto de solidariedade em prol da humanidade inteira (cf. Mane Nobiscum, Domine, 27).

Fica conosco, Senhor, “porque é tarde, e o dia já declina” (Lc 24,29). A Eucaristia é a fonte principal de comunhão e de unidade com Cristo e na vida da Igreja. Neste pão formamos um só corpo. “Uma vez que há um só pão, nós, embora sendo muitos, formamos um só corpo, porque todos participamos do mesmo pão” (1Cor 10,17). O clamor dos discípulos de Emaús é também o nosso. Não porque Ele precise de nós, mas porque nós precisamos d’Ele para nos ajudar a caminhar nos caminhos da vida e da Missão. Ele não nega a sua presença aos discípulos-missionários: “Eis que estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo” (Mt 28,20). O Senhor ressuscitado está presente de várias maneiras entre nós, mas, somente na Eucaristia, pão partido para a vida do mundo, Ele se faz presente em seu corpo, alma e divindade. “Isto é o meu corpo que será entregue por vós” (Lc 22,19). Este modo de o Senhor estar presente “não é coisa que se possa descobrir com os sentidos, diz São Tomás, mas só com a fé.” São Cirilo de Jerusalém argumenta: “Não ponhas em dúvida se é ou não verdade, mas aceita com fé as palavras do Salvador; sendo Ele a Verdade, não mente.”

A Eucaristia é banquete pascal, no qual se recebe Cristo, se enche a alma de graça e é dado o penhor da glória futura (Cf. De Sacra Liturgia, 47). “Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem come deste pão viverá eternamente” (Jo 6,51). Esta dimensão da Eucaristia como alimento lembra-nos o encontro de Jesus com a multidão faminta e a multiplicação dos pães (cf. Mt 9). Faz-nos lembrar que quem não é capaz de partilhar o pão material não deve se aproximar da Eucaristia para receber o corpo de Cristo, e corre o risco de não participar do banquete eterno. Eucaristia é também compromisso com o pobre e com os famintos excluídos dos nossos banquetes.

O 16° Congresso Eucarís­tico não é um evento da Igreja de Brasília, é um evento da Igreja do Brasil. Acorramos todos à Capital Federal para juntos adorarmos e nos alimentarmos do Pão descido do céu para a vida do mundo.

Pe. Vítor Agnaldo de Menezes - Secretário Nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé

Nenhum comentário: