quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Intenção Missionária de Outubro

Para que a celebração do Dia Mundial das Missões seja ocasião para compreender que a tarefa de anunciar Cristo é um serviço necessário e irrenunciável que a Igreja é chamada a realizar em favor da humanidade.



Neste ano de 2010, no dia 24 de outubro, celebramos o 84º Dia Mundial das Missões. A Igreja tem a iniciativa de realizar neste dia a Coleta Nacional para as Missões, que visa continuar levando a cabo os milhares de serviços de solidariedade e partilha que presta à humanidade.

Para se ter uma ideia, com a Coleta feita em todo o mundo, em 2004, a Igreja contribuiu para a manutenção de 5.246 hospitais, 17.224 unidades de saúde, 648 leprosários, 14.927 asilos e casas para deficientes, 10.163 orfanatos, 10.932 creches, além de ajudar na formação de vários seminaristas, religiosas e lideranças comunitárias. Sua contribuição é indispensável para a manutenção destas e de milhares de outras iniciativas missionárias.


Responsabilidade de todos
O mês das Missões tem por objetivo despertar a responsabilidade dos cristãos para o anúncio do Evangelho a todos os povos, recordando o mandato universal de Jesus: "Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura" (Mc 16, 15). Uma das cenas que demonstram o chamado de Jesus à missão de anunciar é quando chama Mateus, em seu ambiente de trabalho (cf. Mt 9, 9-13): ele, que era considerado pecador público, levantou-se e o seguiu, tornando-se discípulo e testemunha do Mestre. Da mesma forma,que chamou a Mateus, Jesus chamou os apóstolos, chamou Paulo e continua a chamar a cada um de nós - você e eu - a sermos suas testemunhas até os confins da terra.

A Missão é um serviço necessário e irrenunciável, uma tarefa pastoral de todos, e não só de um ou outro missionário ou Instituto denominado missionário; é tarefa sua, minha, das igrejas locais e da Igreja como um todo. Os bispos em Puebla - 1979 - já recordavam que mesmo havendo muitas situações de "Missão" próximas a nós, devemos sair de nossas comunidades para partilhar a nossa fé com outros, vencendo a tentação de nos fechar em nós mesmos, para abrir-nos, pois há muito que realizar: "é certo que nós próprios precisamos de missionários, mas devemos dar de nossa pobreza" (DP 368). Estejamos atentos ao clamor da humanidade que grita por justiça, paz, solidariedade, amor... e tantas outras coisas que podemos partilhar.

"Missão é partir... Caminhar... Deixar tudo, sair de si.
Quebrar a crosta do egoísmo que nos fecha no nosso eu.
É parar de dar voltas ao redor de nós mesmos, como se fôssemos o centro do mundo e da vida.
É não se deixar bloquear nos problemas do pequeno mundo a que pertencemos: a humanidade é maior!
Missão é sempre partir, mas não devorar quilômetros.
É, sobretudo, abrir-se aos outros como irmãos, descobri-los e encontrá-los.
E, se para descobri-los e amá-los, é preciso atravessar os mares e voar lá nos céus,
então, missão é partir até os confins do mundo" (Dom Hélder Câmara).

Júlio César Caldeira, imc, é seminarista, estudante de teologia na Escola Dominicana de Teologia - EDT, em São Paulo.
Publicado na edição Nº08 - Outubro 2010 - Revista Missões.

Nenhum comentário: