quinta-feira, 10 de setembro de 2009

“Jovens Perdidos”

Hoje em dia nós jovens, não sabemos qual a nossa função aqui neste mundo. Acho que algumas vezes andamos perdidos no impulso das conquistas, de querer experimentar coisas novas, sentimentos novos, amores e supostos engates de última hora. Mas porque passado algum tempo, dias ou até minutos, já não é aquilo que queríamos ou sonhávamos para nós? Parece-me que as típicas frases “eu quero curtir a vida” e “só eu é que sei o que é melhor para mim”, muitas vezes não dá resultado. E a tomada de consciência deste erro, provoca tremenda dor que nos leva a refletir e reconhecer que, se calhar ultimamente não tomei a atitude mais certa para mim.

Se não conseguimos exprimir ou falar por vezes com um amigo, ou alguma pessoa da nossa confiança (pais, irmãos ou familiares), torna-se pior, porque nos sentimos invadidos pela solidão. Sabemos que não é fácil, porque muitas vezes o contexto dos pais e amigos, não dão a confiança total para que alguém se manifeste ou exprima algo. Acabamos sempre por falar de cabeça fria e não com o coração. Existe também o medo de ser criticado ou posto até de lado (ou de parte) perante o anúncio duma decisão inesperada ou porque fizemos uma escolha diferente para nossa vida.

Hoje em dia, na comunidade em que vivemos ou estamos inseridos como cidadãos iguais a tantos outros, a vida nos faz pensar duas vezes qual é a escolha certa que realmente deveríamos tomar.

A vida e o mundo dão muitas voltas, mas por vezes temos que fazer um exame de consciência e refletirmos na vida que estamos a levar. Devemos perguntar-nos o que estamos a fazer para mudar as ideologias e os olhares que não nos libertam, e que não nos deixam olhar para os nossos irmãos que estão pior do que nós.

E você, o que acha de tudo isso?! Responda a nossa enquete e deixe seu comentário, ok?

Carlos Loureiro, Jovem Aspirante da Consolata.

Nenhum comentário: